Wellington prestes a sair de cena e lançar filho
Fullbanner1



Wellington prestes a sair de cena e lançar filho

Fonte: Da Redação NMT
SHARE
Filho mais novo do veterano, deve tentar mais sorte que João, seu irmão mais velho, que naufragou na tentativa de ingressar num cargo público eletivo no passado. Foto - Redes Sociais

O pré-candidato ao Governo de Mato Grosso e atual senador, Wellington Fagundes (PR), está bem próximo de recuar do projeto de sucessão do Palácio Paiaguás. A conta é clara: mesmo com apoio do MDB e sendo um dos políticos mais conhecidos do estado, o republicano não tem decolado nas pesquisas. Com um potencial de crescimento muito reduzido mediante sua rejeição por tanto tempo de carreira, além do “peso” de carregar partidos de esquerda que virtualmente carregaria consigo e questões de viabilidade financeira, Fagundes tem visto até seu principal aliado, inclusive, se esvair.

O MDB, de Carlos Bezerra, como não seria diferente de nada do que já se conhece do Modus Operandi do partido, abriu conversações com o DEM de Mauro Mendes, principal favorito no pleito que se avizinha, e mais uma vez se posiciona, ao menos em volta da mesa, para comer o que cair da ceia. Já Wellington, pensando em garantir minimamente seu espaço para retornar a Câmara Federal, em 2022, caso isso seja necessário, deve lançar o filho, Diógenes Fagundes, rapaz de sorriso largo e namorado da deputada estadual, Janaína Riva (MDB), para deputado federal.

O veterano imagina uma possível disputa com Taques para reeleição, daqui quatro anos, mas pode ter desafio ainda maior com uma eventual volta de Blairo Maggi (PP) ao cenário político, o que poderia força-lo a repensar os planos, já que na futura ocasião somente uma vaga ao Senado Federal estará disponível nas urnas. Quanto aos partidos de esquerda que caminham com Wellington, eles devem seguir a natural posição marginal de todo o processo no estado, lançando algum candidato “kamikaze”.