Wellington pede estruturação do Instituto Federal em Mato Grosso
Fullbanner1

Fullbanner2


Wellington pede estruturação do Instituto Federal em Mato Grosso

Relator da LDO, senador discutiu com ministro do Planejamento a liberação de dotação orçamentária para que a Sudeco ajude municípios do Estado

Fonte:
SHARE
Foto:Assessoria.

O líder do Partido da República no Senado Federal, Wellington Fagundes (MT), já iniciou entendimentos para estruturar os 14 campi do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia implantados em Mato Grosso. As medidas devem alcançar também as 5 unidades avançadas de ensino. A tratativas se iniciaram com o ministro de Planejamento, Dyogo de Oliveira, em reunião em que também participou o reitor José Bispo Barbosa.

A maioria das unidades do IFMT, conforme relatado ao ministro, ainda está em fase de implantação no Estado. O instituto possui cerca de 25 mil alunos, nos mais de 100 cursos de nível superior, distribuídos em bacharelado, lincenciatura e tecnologia, Pós-graduação, Técnico, Educação à Distância, além de cursos de curta duração, como Formação Inicial e Continuada, Mulheres Mil e Pronatec.

Segundo o reitor José Bispo, em função da ampliação e crescente demanda educacional, existe necessidade de mais servidores, docentes e técnicos administrativos para atender os campi.  Ele encaminhou ao ministro a atualização do banco de professor equivalente dos cargos da carreira de magistério. “Necessitamos do acréscimo de 40 professores para o segundo semestre de 2016 e 80 docentes para o exercício de 2017” – explicou.

Como relator da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), cujo projeto deve ser votado na semana que vem, durante sessão do Congresso Nacional, Fagundes incluiu no dispositivo a permissão para que, em 2017, haja uso dos saldos para provimento de cargos efetivos constantes do Anexo V à Lei nº 13.115, de 20 de abril de 2015 – Lei Orçamentária Anual de 2015. Isso envolve aproximadamente 30 mil servidores dos três poderes.

Na conversa com o ministro, Wellington Fagundes enfatizou que o IFMT tem cumprido papel fundamental no desenvolvimento do ensino em Mato Grosso. Ele destacou que praticamente todas as regiões do Estado carecem de estruturação do ensino. Citou como exemplo o Vale do Araguaia, que se divide em três extensas áreas.

O IFMT tem instalações em Alta Floresta, Barra do Garças, Cáceres, Campo Novo do Parecis, Confresa, Cuiabá – com duas unidades, o campi Octayde Jorge da Silva e o campi Bela Vista -, Juína, Pontes e Lacerda, Primavera do Leste, Rondonópolis, São Vicente, Sorriso e Várzea Grande. Possui ainda três campi avançado, nos municípios de Diamantino, Lucas do Rio Verde e Tangará da Serra. “O IFMT está presente em praticamente todo Mato Grosso, e daí nossa luta para fortalecê-lo tanto na estrutura quanto em pessoal” – justificou o senador.

SUDECO – Na mesma audiência, o senador republicano também tratou com o ministro do Planejamento a continuidade do  processo de estruturação da Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco). Ele reivindicou, sobretudo, a melhoria de dotação orçamentária para atender o Estado de Mato Grosso. A reunião teve a presença do superintendente Cleber Ávila, que avaliou o encontro como “extremamente positivo”.

Ávila explicou que o trabalho que está sendo feito pelo senador Wellington Fagundes, como relator da LDO e agora na elaboração da Lei Orçamentária, será importante para destinação de recursos voltados à infraestrutura econômica do Estado. A Sudeco terá condições de ajudar os municípios na restauração de pontes e recuperação de estradas, além de aquisição de máquinas para dar suporte, sobretudo, ao escoamento da produção.

Da Assessoria

Montreal