Voluntários transformam conhecimento em solidariedade
Fullbanner1



Voluntários transformam conhecimento em solidariedade

Fonte: NOTÍCIAS DE MATO GROSSO com Assessoria
SHARE

Eram 2h30 da manhã do dia 24 de janeiro e dona Ivanilda Carlos de Morais, de 64 anos, já estava acordada. Vestiu uma roupa confortável porque sabia que o dia prometia ser longo e desafiador, afinal ela é uma das voluntárias da Caravana da Transformação de Jaciara (144 km ao Sul de Cuiabá) e se preparava para o primeiro dia de trabalho. Vaidosa, arrumou o cabelo e passou maquiagem – uma sombra colorida e um batom discreto. Na cozinha, preparou o café. Queijo, manteiga e cuca não faltaram para o desjejum, pois logo chegariam mais dois colegas de empreitada.

Um misto de animação, expectativa e ansiedade tomavam conta de Ivanilda. Mel, a cachorrinha dela, estava agitada e parecia compartilhar dos mesmos sentimentos. O que Ivanilda havia aprendido no curso de voluntários da Defesa Civil estava fresco na cabeça e ela repassava tudo o que os professores tinham ensinado. A vontade de trabalhar como voluntária era tanta que fez o mesmo curso duas vezes, pois não queria perder nenhum detalhe.

Junto com ela, se formou o jovem Mario Márcio Degaspery Silva, de apenas 15 anos. Apesar da pouca idade, Mário está acostumado a trabalhar no atendimento a idosos, pois é envolvido com um grupo da sociedade civil organizada. Apesar disso, garante que o gosto por ajudar o próximo vem de casa, aprendeu com os avós que deve sempre respeitar os mais experientes e ajuda-los no que for possível. Ao ficar sabendo da Caravana, ele não teve dúvidas e se inscreveu como voluntário – tudo com autorização dos responsáveis.

Estava escuro quando Mário e outra colega de curso se encontraram na casa de Ivanilda, como estava combinado. Eram só sorrisos. Partiram os três, rumo ao Centro de Eventos de Jaciara. Pontualmente, às 4 horas, estavam eles junto dos demais voluntários assumindo os postos de trabalho com a alegria estampada na cara. Ele no credenciamento dos cidadãos que chegavam de todos os cantos da cidade; ela no acolhimento dos idosos, recepcionando e encaminhando todos para os devidos setores. Começava mais uma Caravana da Transformação.

Cidade Resiliente

Ao todo, 240 pessoas das mais variadas idades realizaram o curso da Defesa Civil do Estado e estão capacitados para atuarem como voluntários, tanto na Caravana quanto em outros eventos ou até mesmo em situações de emergência. Nas aulas, noções de primeiros socorros e prevenção e combate a incêndio, além de assuntos específicos da Caravana da Transformação.  Foram 12 horas de aulas teóricas e práticas que renderam certificados aos alunos. Quem atuar na Caravana também vai receber certificado de participação.

O projeto de formação de voluntários para prevenção e percepção de emergências ou desastres se chama Cidade Resiliente e é uma das ações da Defesa Civil de Mato Grosso. Segundo o secretário adjunto de Proteção e Defesa Civil da Secretaria de Estado das Cidades (Secid-MT), Ten. Cel. BM Abadio Cunha, a ação começou pequena, apenas na região metropolitana de Cuiabá e, com a Caravana da Transformação foi possível abranger outras cidades mato-grossenses.

“Trata-se de um projeto que compartilha conhecimento. É uma maneira de informar e capacitar os cidadãos para atuar em diferentes situações de emergência, ou seja, um conhecimento que fica para o município, para a comunidade”, destacou Cunha. O objetivo da instituição é retornar aos municípios que receberam a Caravana para ministrar uma nova etapa de capacitação, com conteúdos de nível mais avançado.

Ivanilda, por exemplo, disse que vai levar para a vida tudo o que aprendeu. Ela, que trabalha em cozinha industrial preparando a merenda escolar para estudantes da rede pública de ensino, estará mais atenta a possíveis riscos envolvendo fogo e se diz preparada para atuar em situações que necessitem de primeiros socorros. “Cozinha é um lugar perigoso, por isso eu insisti para que cinco colegas minhas também participassem. Todas fizeram o curso”, contou.

O coordenador da Caravana, José Arlindo de Oliveira, lembra que o sucesso do programa está diretamente ligado à solidariedade dos voluntários, que dedicam vários dias de suas vidas para atuarem junto a cidadãos que precisam de atendimento médico ou serviços de cidadania. “A gente faz essa Caravana juntos e não existe outra forma de fazer isso sem a ajuda de vocês”, agradeceu Arlindo.