Volume do Sistema Alto Tietê completa três semanas em elevação
Adventista



Volume do Sistema Alto Tietê completa três semanas em elevação

Fonte: Do G1 de Mogi das Cruzes e Suzano
SHARE

O volume de água armazenado no Sistema Alto Tietê completou três semanas de elevação neste domingo (29), de acordo com dados divulgados diariamente pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). O índice chegou a 52,1% neste domingo (29). No sábado (28) ficou em 51,8%. Esta semana foi a primeira vez desde a crise hídrica que o volume superou os 50%.

A série de elevações consecutivas começou no dia 9 de janeiro, quando o sistema operva com 43,3% da capacidade.

A chuva acumulada em janeiro está em 236,7 mm, que correspondem a 96,18% da média histórica para o mês. Neste domingo, porém, a pluviometria ficou em 0 mm pela primeira vez em 14 dias.

A pluviometria do último domingo  (22) – de 42,2 mm – foi a mais alta em 10 meses. Choveu mais apenas no dia 11 de março de 2016, quando foram registrados 55 mm em um único dia.

No dia 29 de janeiro de 2016, o volume armazenado estava em 29% da capacidade e a pluviometria acumulada em 201,8 mm. Já no mesmo dia de 2015, as represas operavam com apenas 10,7% e o acumulado de chuva era de 101,7 mm.

A chuva acumulada em, 2016 ficou 90,5% abaixo da média histórica para o ano. Em comparação com 2015, choveu 26,26% menos.

O sistemaDe acordo com informações da Sabesp, o Alto Tietê abastece atualmente 4,2 milhões de pessoas em parte da zona leste de São Paulo e nas cidades de Ferraz de Vasconcelos, Poá, Itaquaquecetuba, Arujá, Suzano, Mogi das Cruzes, Mauá (parcialmente) e Guarulhos (parcialmente).

A população atendida pelo sistema saltou de 3,8 milhões de pessoas para 5 milhões em dezembro de 2013 por causa da crise no Sistema Cantareira. Um ano depois de começar a ser usado como reforço do Cantareira, em dezembro de 2014, o sistema chegou a ter apenas 4,2% da capacidade.

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) afirmou no dia 7 de março que a “questão da água está resolvida”, referindo-se ao término da crise hídrica no estado de São Paulo.

Chuva em 2016Novembro terminou com a pluviometria atingindo exatamente a média histórica: 130,7 mm.

O mês de outubro terminou com  6% mais chuva do que média histórica do Alto Tietê. Pluviometria acumulada foi de 122,3 mm diante da média de 114,5 mm.

Setembro terminou com chuvas 70% abaixo da média no Alto Tietê. Dos 83,6 mm previstos para setembro, choveu apenas 25,9 mm.

O mês de agosto terminou com volume em 41,9% e 11% mais de chuva do que o esperado.

O índice de chuvas registrado em julho ficou 85% abaixo da média históricapara o mês, de acordo com a Sabesp.

Em junho deste ano, a pluviometria no sistema superou em 152,54%, a média histórica prevista para o mês.Em maio, o volume de chuva superou em 41,6% a média histórica: choveu 106,2 mm, quando a média histórica é de 75 mm.

Em abril choveu 91,6% menos do que a média para o mês. Enquanto a pluviometria acumulada foi de 8,2 mm, a média para abril, segundo a Sabesp, é de 97,8 mm.

Em março, choveu 7,9% mais do que a média histórica, de 172,4%.Em fevereiro, o volume de chuva foi 14,2% maior do que a média histórica de 194,4 mm.

Em janeiro de 2016 a chuva nas represas ficou 17,13% abaixo da média histórica.