Vereadores precisam de mais três assinaturas para CPI de Emanuel Pinheiro
Fullbanner1

Fullbanner2


Vereadores precisam de mais três assinaturas para CPI de Emanuel Pinheiro

Fonte: Thiago Mattar
SHARE
Emanuel Pinheiro em vídeo da delação de Silval. Foto: reprodução.

Sete vereadores pedem a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a conduta do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB), após a divulgação dos vídeos da delação do ex-governador Silval Barbosa.

Apoiam a instauração de uma CPI para apurar a quebra de decoro parlamentar os vereadores Abílio Júnior (PSC), Dilemario Alencar (PROS), Gilberto Figueiredo (PSD), Marcelo Bussiki (PSD), Sargento Joelson (PSC), Felipe Wellaton (PV) e Diego Guimaraes (PP), que não pôde votar na última sessão por estar licenciado.

São necessários, de um total de 25 vereadores, pelo menos nove votos para que a CPI seja instaurada. Na última sessão, marcada por tumultos, ocorrida nesta terça-feira (29), seis assinaturas favoráveis foram registradas.
“Agora dependemos do prosseguimento das ações. A partir da exposição dos vídeos começa uma investigação do STF e da Policia Federal e, com a apuração dos fatos, essa CPI vai ficando mais forte”, disse Abílio.

Perguntado sobre os vídeos que mostram o então deputado estadual Emanuel Pinheiro guardando maços de dinheiro nos bolsos do paletó, o vereador Abilinho destacou o direito do representante do executivo apresentar sua defesa. “Mesmo que tenha cara de cachorro, cheiro de cachorro, rabo de cachorro e até latido, a justiça ainda dá o direito dele de dizer que aquilo ali é uma vaca”, comentou.

Funcionários públicos, presidentes de bairro e outros apoiadores defenderam Emanuel Pinheiro fazendo muito barulho durante a última sessão. Do outro lado, estudantes, representantes da sociedade civil organizada, movimentos sociais e outros cuiabanos defendiam a renúncia do prefeito ao cargo.

“Não há como nós, vereadores eleitos pelo povo, deixarmos essa situação passar, como se nada tivesse acontecido. Existe uma gravação homologada pelo STF, não é um boato ou mexericos. Todos nós vimos e, por mais que a Justiça esteja fazendo seu trabalho, cabe sim à Câmara de Vereadores tomar uma atitude”, afirmou o vereador Bussiki, autor do documento que pede a instauração da CPI.

Para Bussiki, o apoio dos demais vereadores é questão de tempo, principalmente devido à pressão popular, que deve chegar às ruas. As três assinaturas que faltam ainda podem ser recolhidas para que a pauta volte a ser discutida na próxima sessão plenária.

Outro que defende a reação da população cuiabana é o vereador Fellipe Wellaton. “O requerimento de abertura de uma CPI para investigar o prefeito Emanuel Pinheiro, na Câmara de Cuiabá, foi só o início de uma grande jornada, ainda podem ser colhidas as três assinaturas faltantes e também existem outros meios legais que podem ser acessados”, ressaltou.

Montreal