Ubaldo deve migrar para o PP, após saída do PSL
Fullbanner1



Ubaldo deve migrar para o PP, após saída do PSL

Fonte:
SHARE

O vice-prefeito de Rondonópolis, Ubaldo Tolentino de Barros,  que estava sem partido, já tem o destino político definido, ele vai se juntar as fileiras do PP e deve chegar ao partido com status liderança de peso, inclusive assumindo a presidência do diretório municipal da sigla.

Ubaldo estava filiado ao PSL, mas deixou a sigla, em razão de concordar com o posicionamento de lideranças do partido em apoiar o projeto de reeleição do governador Pedro Taques (PSDB).  Ele queria estar livre para apoiar outros candidatos, que não são filiados ao partido, que tem como candidato a presidente o deputado federal Jair Bolsonaro e em Mato Grosso, a juíza aposentada Selma Arruda como candidata ao senado.

O vice-prefeito preferiu deixar a sigla e seguir no projeto do senador Wellington Fagundes (PR),  ao governo, onde é um dos coordenadores da campanha na região Sudeste do Estado. Na chapa de Wellington estão como concorrentes ao senado, a ex-reitora da UFMT, Maria Lúcia Cavalli (PC do B) e o deputado federal Adilton Sachetti (PRB).

No PP, Ubaldo deve levar o seu grupo de seguidores, e assumir a presidência da sigla no municipio, com aval do deputado federal, Ezequiel Fonseca e do vereador Roni Magnani, que é o atual comandante da sigla no município.

Ubaldo foi eleito vice-prefeito na chapa do prefeito Zé do Pátio (SD) nas eleições municipais de 2016. Os dois, no entanto, não vivem uma relação harmônica na prefeitura, em razão de divergências políticas.  Pátio, por exemplo, apoia o projeto de Pedro Taques à reeleição.