Treinar as pessoas da empresa deve ser uma meta!
Fullbanner1


Macropel

Treinar as pessoas da empresa deve ser uma meta!

Fonte:
SHARE

Empresários e profissionais em gestão de pessoas buscam incessantemente pessoas que possam compor suas equipes, pessoas qualificadas e que tenham comprometimento com suas metas. Contudo vivemos a era do pleno emprego, há muitas vagas disponíveis a espera de gente que possa ocupa-las. Os recrutadores e empresários reclamam, “não há mão-de-obra qualificada no mercado”, “quem é bom está empregado”.

Muitos empresários dizem que não treinam suas equipes com o argumento que logo depois eles saem da empresa. Talvez seja hora de criar programas de retenção de talento.
Muitos empresários dizem que não treinam suas equipes com o argumento que logo depois eles saem da empresa. Talvez seja hora de criar programas de retenção de talento.

Realmente o mundo mudou, o mercado mudou, a abundância de pessoas qualificadas disponíveis é raridade, o que obriga as organizações a investirem seu tempo em capacitar sua gente. Hoje formar gente é uma atividade obrigatória que deve ser levada com muita atenção dentro das organizações, é uma questão estratégica que possibilita redução de custos com a rotatividade de funcionários, afinal quando um novo funcionário entra na equipe é preciso tempo e dinheiro investidos em treinamento, sem contar os valores rescisórios, no médio prazo reduz reclamações de clientes, pois os clientes passam a ter relacionamento com esses funcionários, é preciso dedicar tempo e mudança de comportamento. Assim como há metas de vendas, metas de investimentos, se faz necessário haver meta de aprendizagem para as equipes. “As metas de aprendizagem da equipe são o ponto de encontro entre as metas individuais e as da organização”, Clutterbuck (2008) ao afirmar isso, também questiona:

  • Quais conhecimentos, habilidades, e comportamentos a equipe precisa ter para alcançar a meta de aprendizagem estabelecida agora, nos próximos 12 meses e no decorrer de um período mais longo?
  • Está claro para todos na empresa como esse repertório os ajudará a alcançar as metas da organização?
  • Qual o nível atual de conhecimentos, habilidade e comportamentos nesse contexto?
  • Há alguma lacuna? De que tamanho?
  • Quais lacunas precisam ser preenchidas por aprendizados que beneficiem a equipe toda, e quais são focadas nos indivíduos? (Algumas lacunas podem se relacionar com falta de experiência por parte de alguns membros da equipe, por exemplo, em áreas nas quais todos precisam ser eficientes; outras lacunas podem se relacionar a competências requeridas somente de algumas pessoas na equipe, dependendo dos papéis que desempenham.)
  • Quais nossos recursos para preencher a lacuna, tanto internos como externos? (Os recursos externos podem incluir treinamento ou delegação de tarefas para alguém fora da equipe; os internos poderiam incluir coaching realizado pelos próprios integrantes da equipe.)

As metas de aprendizagem podem vir de diversas fontes, mas as duas mais comuns são a ambição interna e o feedback. Equipes eficientes desenvolvem uma ambição coletiva que compreende tanto o que a equipe faz como sua identidade. O sucesso não está normalmente associado a equipes que aspiram apenas a “não se saírem pior que a concorrência”. Uma parte importante do processo de aprendizagem consiste em expressar a ambição da equipe, seus valores e implicações fundamentais, e como eles se interligam com as aspirações e valores da corporação e de cada indivíduo da equipe.

Pense Nisso e conte comigo.

Elissandro Sabóia

Montreal