Thiago Muniz apresenta projeto demagogo para inviabilizar Pátio
Fullbanner1



Thiago Muniz apresenta projeto demagogo para inviabilizar Pátio

Fonte: Da Redação
SHARE
Vereador tem tentado claramente vingar a derrota política da família nas costas do atual prefeito

O vereador de Rondonópolis, Thiago Muniz (PPS), usou todo seu primeiro mandato para esconder as muitas obscuridades que aconteceram na gestão do parente e ex-prefeito, Percival Muniz (PPS), e para comprar briga com quem falasse mal da Prefeitura. Certa vez, chegou a dizer publicamente a servidores públicos municipais, que ameaçavam entrar em greve para lutar por seus direitos, para ‘pegar o boné e ir embora, caso não estivessem mais interessados em trabalhar’. Agora, sem a família na Prefeitura, a expectativa era que o rapaz trabalhasse um pouco mais em prol dos interesses da cidade, ledo engano. Seu segundo mandato, novamente, tem sido recheado de demagogia, com a diferença de que: enquanto no primeiro ele não via nada de errado, agora vê irregularidade até onde não existe.

Com uma proposta legislativa que merece o adjetivo de “esdrúxula”, para dizer pouco, o parlamentar quer praticamente inviabilizar a administração de Zé Carlos do Pátio (SD). Notadamente magoado por Pátio ter tirado a família do poder no Executivo, quando derrotou Percival nas eleições do último outubro, Thiago quer – por meio do Projeto de Lei 02 de 12 de Abril de 2017 – que o gestor municipal seja obrigado a ter que receber autorização da Câmara de Vereadores do Município até para aderir Ata de Registro de Preço. Na prática, a aprovação da matéria faria Pátio e seus secretários terem o mesmo poder dos vasos de plantas das suas salas, visto que para contratar um jardineiro para cortar a grama do entorno da Prefeitura ou um simples pacote de sulfite, por exemplo, o prefeito poderia ser barrado por um vereador.

Thiago chega a citar no próprio texto a obrigatoriedade de um projeto ter de vir do Município para possibilitar a compra de medicamentos e materiais hospitalares, sem sequer pensar o quanto isso poderia resultar em tempo perdido e no caos que ajudaria a causar em ambientes como o Pronto Atendimento Municipal – PA. Está mais do que evidente que a intenção de Thiago Muniz é usar seu segundo mandato para legislar no único intuito de dificultar a atual gestão, já que se fosse realmente preocupado com a excelência em transparência teria tido essa mesma postura desde 2013, quando iniciou como vereador. Se assim o fizesse, poderia ter evitado que uma mesma adesão a ata, feita no início da gestão de Percival na Secretaria Municipal de Educação, executada por Ana Carla Muniz, também parente de Thiago, não fosse usada para comprar muito mais coisa do que previamente havia sido estipulado, sem a anuência de ninguém. Quem sabe?

Além disso, se a preocupação inconstitucional de Thiago já tivesse existido há alguns meses atrás, não precisava nem ser anos, a Fundação de Apoio ao Ensino Superior Público Estadual – Faesp, contratada por Percival com a função fim de fazer projeto, não teria sido usada como meio de contratar uma leva de terceirizados para tudo quanto é função, virando um verdadeiro cabidão de emprego, que acabou não adiantando nada para a tentativa de perpetuação de poder da família na Prefeitura. É bom que o vereador reavalie seu posicionamento, até mesmo para não ficar tão ridículo como petista criticando corrupção. O tal discurso de “transparência” para defender o tal projeto não cola, justamente porque se teve uma coisa que a última gestão, que tanto ele defendia, não teve foi isso. Aliás, nem mesmo no obrigatório (por lei federal) portal da transparência a coisa nunca funcionou. Era mais fácil “achar Wally” que algum dado simples sobre as movimentações financeiras da Prefeitura.

Se o NMT pudesse dar um conselho, com todo respeito a posição de autoridade legislativa mereça, a dica seria: “Thiago, baixa a bola…”

2 COMENTÁRIOS

  1. Este ” cidadão” sobra desinteligência nele, alguém que não fez nada nem pra justificar seus votos no primeiro mandato, e agora está nítido a incapacidade política dele

  2. Más que coisa em …o cidadão não pensa no dia do amanhã e em trabalhar em pró a sociedade….vamos trabalhar meu querido vereador…eu votei de novo no senhor ajudei a você estar ai agora vamos ajudar a população da cidade que ajudou a colocar você ai dentro…..a cidade é grande e precisa melhorar muito….vamos pensar em somar e melhorar essas entradas da cidade ….trazer mais empresas vamos fazer crescer essa cidade cada dia mais…vamos ? aceita esse desafio ? Já que na época das eleições todos estão dispostos a mudarem e ajudar na melhoria dessa cidade que eu to aqui desde 2001 e temos uma empresa ,vamos…..vamos….trabalhar meus amigos e deixar de atrapalhar outras pessoas que quem sabe podem mudar essa historia dessa cidade que precisa da ajuda de todos não só de um vereador e sim de um prefeito…e sim para fazer a diferença precisamos de todos unidos e fiscalizando tudo……..vamos pensar nisso…vamos e gastar o dinheiro em coisa certa ??????

DEIXE SEU COMENTÁRIO

SHARE
Previous articleComissão decide separar votação da reforma política em três relatórios parciais
Next articlePlenário aprova projeto sobre dívida dos estados; destaques serão votados nesta quarta