Temendo ficar fora, juíza já aceita um ou outro “corruptinho”
show

Fullbanner1


Temendo ficar fora, juíza já aceita um ou outro “corruptinho”

Fonte: Da Redação NMT
SHARE
Foto - Assessoria/Redes Sociais

O principal adversário da ex-juíza Selma Arruda (PSL) ainda segue sendo o tom que ela deu ao próprio discurso. Aparecendo no cenário político com a jura de que não estaria no mesmo palanque de pessoas que teve de conviver nos tribunais na condição de réus por corrupção, ela agora terá de aceitar dar a mão para denunciados ou terá de ir curtir a aposentadoria em outro ramo. Totalmente rompida com Jayme Campos (DEM), a quem atribuiu ser da “velha política” e bateu-boca via imprensa, ela também tem na coligação do PSDB de Pedro Taques, a quem já admite agora estar do lado, figuras como Nilson Leitão, também pré-candidato ao Senado Federal, entre outras do arco de alianças que possuem ou possuíram graves problemas com a justiça e a polícia. Nilson, por exemplo, já foi até preso. A antipatia da dita cuja criada junto a classe política tem inviabilizado o PSL em vários caminhos e uma outra possibilidade, a da aliança no grupo do senador e pré-candidato ao Governo de Mato Grosso, Wellington Fagundes (PR), já não é mais possibilidade com a provável desistência do republicano. O futuro assistiremos, mas o caminho natural é que a ex-magistrada tenha de escolher entre o recuo ou o “rebaixamento” para a candidatura a outros cargos, em virtude do afunilamento, com o desgaste da pecha de demagoga. O fato é que Selma chegou falando grosso demais e se esqueceu que não estava mais com o martelo de madeira na mão.