Taques tenta evidenciar Leitão e leva xeque-mate da bancada
Supermoveis



Taques tenta evidenciar Leitão e leva xeque-mate da bancada

Fonte: Da Redação NMT
SHARE
Foto - Reprodução Redes Sociais

O governador de Mato Grosso, Pedro Taques (PSDB), tentou usar a vinda do secretário nacional de Aviação Civil, Dario Rais, para colocar os holofotes do processo de privatização de cinco aeroportos em Mato Grosso – Sinop, Rondonópolis, Cuiabá, Alta Floresta e Barra do Garças – em cima do pré-candidato ao Senado Federal na chapa de reeleição que articula, Nilson Leitão (PSDB), atual deputado federal. A reunião marcada para o início da semana, no Palácio Paiaguás, teria a presença da classe política do estado, de Dario junto a bancada federal, do próprio governador e dos prefeitos dos municípios envolvidos.

Ocorre que no convite oficial enviado pelo Governo do Estado, aos gestores municipais e demais convidados, só consta o nome de Leitão e de mais nenhum dos sete deputados federais restantes, muito menos dos três senadores. Talvez se o correligionário de Taques fosse, ao menos, o líder da bancada de Mato Grosso no Congresso Nacional, seria possível justificar a situação. O cargo hoje, porém, é ocupado pelo senador José Medeiros (Pode), que assim como Leitão foi um dos que tratou do assunto diretamente com a Secretaria Nacional de Aviação Civil, desde que o pacote de privatizações pelo interior do Brasil foi lançado.

Diante da clara manobra de Taques, coincidência ou não, membros da bancada federal iniciaram a falar sobre uma nova reunião com a presença dos prefeitos dos cinco municípios, em Brasília, e o secretário nacional recuou sua ida a Cuiabá. Leitão foi o único da bancada a permanecer na agenda, que mesmo assim prosseguiu sem dez dos onze membros da Câmara e do Senado Federal. Assim como procedeu em praticamente todo seu mandato, novamente Taques tentou usar sua gestão para fazer política eleitoral. Mas, como já foi em várias outras oportunidades, toda sua perspicácia não foi suficiente e a intenção ficou evidente antes do ato, trazendo insucesso a empreitada.