Taques sinaliza que sem FEX salários de dezembro devem atrasar
Supermoveis


Macropel

Taques sinaliza que sem FEX salários de dezembro devem atrasar

Fonte: Da Redação com A Gazeta
SHARE
Foto - Secom/MT

Em entrevista ao programa Tribuna na Rádio Vila Real, na última sexta-feita (1), o governador Pedro Taques (PSDB), disse que o Executivo de Mato Grosso terá dificuldades de pagar o salário dos servidores, neste mês, caso não receba o Auxílio Financeiro às Exportações (FEX) que destinarão quase R$ 500 milhões ao estado. Ele explica que para fechar o ano com salários e dívidas quitadas os recursos precisam chegar até o final de dezembro.

“Sem o FEX teremos dificuldade de pagar o salário deste mês. Estamos buscando outras possibilidades para saldar os salários e a dívida com os poderes, mas a crise não é só em Mato Grosso. O Brasil inteiro vem sofrendo com isso e nós faremos o possível para fechar o ano com as dívidas pagas”, disse o tucano.

Com a falta de recursos em caixa, o gestor vem atrasando, além dos salários, o repasse do duodécimo aos poderes como Assembleia Legislativa, Tribunal de Justiça, Tribunal de Contas do Estado, Defensoria Pública. Taques, porém, diz acreditar que o recurso do FEX chegue ainda este ano.

“O FEX é um direito de Mato Grosso, a União deve e nós estamos cobrando isso. A bancada federal está preocupada e trabalhando nisso. Estamos confiantes que ele virá na semana que vem”, disse o tucano. Os trâmites legislativos em Brasília, no entanto, não são tão animadores. O projeto que libera o pagamento ainda não saiu da Câmara e ainda precisa passar pelo Senado Federal para ser deliberado. Tem gente apostando que o dinheiro só vem em 2018.

Nos últimos dias, o estado recebeu mais de R$ 100 milhões de uma dívida da Conab com Mato Grosso, que também foi acelerada pelo trabalho da bancada. Os oito deputados federais e três senadores mato-grossenses enviaram toda a emenda coletiva impositiva para custeio, mais especificamente para o setor de saúde. Desta maneira, os mais de R$ 120 milhões não poderão quitar os pagamentos do funcionalismo em geral.

Montreal