Taques deixa escapar “preferência” por Sachetti em reunião do PSDB
Adventista

Fullbanner1


Taques deixa escapar “preferência” por Sachetti em reunião do PSDB

Fonte:
SHARE
Foto:Assessoria

O governador de Mato Grosso, Pedro Taques (PSDB), deu a entender durante ato do PSDB em Rondonópolis, que pode votar em Adilton Sachetti (PRB) ao senado, além do candidato do seu partido, o deputado federal Nilson Leitão que também concorre a uma cadeira no Senado. “Aqui em Rondonópolis eu tenho um amigo, o deputado federal Adilton Sachetti, que não está do nosso lado, mas ele é meu amigo. Não posso mentir. Peço voto a Nilson Leitão, mas Sachetti é meu amigo”.

A frase do governador pode soar como um pedido subliminar de votos a Sachetti e mostra , por outro lado, que o ex-prefeito de Rondonópolis tem muito respeito por parte da classe política.

Taques, no entanto, teve problemas com a ex-juíza Selma Arruda (PSL) que chegou a colocar o nome como candidata ao senado da coligação do governador que concorre a reeleição mas devido a divergências internas decidiu sair do grupo do governador e disputar uma cadeira na Câmara alta de forma independente.

Nas eleições passadas, quando Taques foi eleito governador, Sachetti foi um dos coordenadores da campanha e em seguida faltando menos de 40 dias para o inicio da disputa decidiu sair candidato a deputado federal.

O prefeito de Rondonópolis, Zé Carlos do Pátio (SD), também tem mostrado simpatia ao projeto de Sachetti e tem dito aos assessores mais próximos que Sachetti é uma boa alternativa.

Nestas eleições, Sachetti está na coligação de Wellington Fagundes, que também tem como candidata ao senador a ex-reitora da UFMT, Maria Lúcia Cavalli (PC do B).