Suspeito de matar homem em desavença de compra de arma de fogo...
Fullbanner1



Suspeito de matar homem em desavença de compra de arma de fogo é preso em MT

Fonte: Da redação
SHARE
Foto: Internet

A Polícia Judiciária Civil, por meio dos trabalhos da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), realizou a autuação em flagrante por homicídio doloso do suspeito de matar um desafeto em negociação de arma de fogo, na noite de quarta-feira (21), no bairro Jardim Flamboyant, em Cuiabá.

A vítima, Rodson Vargas de Brito, 22, foi alvejada com disparos de arma de fogo dentro do veículo particular, um Citroen C3. Em atendimento no local foram realizadas diversas diligências buscando identificação e captura do autor do crime, o que veio a acontecer no bairro Jardim Icaraí, em Várzea Grande, por uma equipe da Polícia Militar/Rotam.

Conduzido à delegacia especializada, o suspeito José Willian da Silva, 21, que é soldado do Exército, confessou o crime. Ele entrou no carro da vítima para negociar a compra de uma pistola .765 pelo valor de R$ 5 mil reais.

O autuado teria subtraído ainda o celular da vítima, mas se desfez do aparelho lançando-o na ponte da Estrada da Guarita. As investigações – conduzidas pela DHPP e presididas pelo delegado Marcelo Fernandes Jardim – prosseguem no intuito de localizar o comparsa de José Willian, bem como apreender a arma usada no crime.

DHPP abre inquérito para apurar morte de sargento da PM

A DHPP também deu início às investigações preliminares de inquérito policial, presidido pelo delegado Marcelo Jardim, para apurar a morte do sargento da Polícia Militar, José Carlos Camelo, 44, ocorrida por volta das 00h desta quarta-feira (22), no bairro Marajoara, em Várzea Grande.

As informações colhidas, até o momento, são de que a vítima (motivada por ciúmes) teria invadido a residência da ex-companheira pulando o muro, vindo a ser atingida por disparo de arma de fogo efetuado pelo atual companheiro dela (soldado da Polícia Militar) que estava dentro da casa.

Em razão de vítima e suspeito serem policiais militares, a Corregedoria da Polícia Militar realiza investigação paralela, instaurando inquérito militar. As requisições periciais – junto à Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) – foram feitas em conjunto pelas duas Instituições de Segurança Pública.