“Sou homem de partido; eu não traí Percival”, afirma Pedro Taques
VendaMais

“Sou homem de partido; eu não traí Percival”, afirma Pedro Taques

Governador nega ter rompido com atual prefeito, mas diz que estará em palanque adversário

SHARE
Foto:Marcus Mesquita/MidiaNews

O governador Pedro Taques (PSDB) negou que tenha traído o prefeito de Rondonópolis (214 km ao Sul de Cuiabá), Percival Muniz (PPS), candidato à reeleição, ao apoiar a candidatura de Rogério Salles (PSDB).

“Não há sentimento de ingratidão, nem de traição. Eu não traí o Percival Muniz. Eu não tenho essa discussão em relação ao Percival”, disse Taques, durante evento no município, na manhã de terça-feira (23).

 

O PSDB aqui tem candidato e estaremos com o candidato do PSDB, meu amigo Rogério Salles

O tucano afirmou ser “homem de partido” e que, portanto, seria impossível não apoiar a candidatura de Salles.

O candidato a prefeito do PSDB é vice-prefeito de Rondonópolis, mas rompeu com Percival para disputar o comando do Executivo.

“Eu sou um homem de partido. O PSDB aqui tem candidato e estaremos com o candidato do PSDB, meu amigo Rogério Salles”, afirmou Taques ao confirmar que estará no palanque do candidato tucano.

Em 2014, Percival Muniz foi um dos principais articuladores da candidatura de Taques ao Governo do Estado.

Candidatura inevitável

Na semana passada, Salles afirmou ao MidiaNews que seria inevitável que o PSDB lançasse candidatura majoritária nas eleições deste ano.

Segundo ele, desde a gestão de Adilton Sachetti (PSB), em 2004, que o partido vem apoiando candidaturas ao invés de disputar como “protagonista”.

Naquele ano, os tucanos estavam coligados com Sachetti. Em 2008, os tucanos estavam com a candidatura vitoriosa de José Carlos do Pátio (SD). Já em 2012, a coligação foi com o atual prefeito, Percival Muniz (PPS).

“Sempre colocamos ideias do PSDB que poderiam estar em prática. Mas, quando você participa apoiando, tem poucas chances de colocar essas ideias em prática, por mais que se tenha um bom relacionamento com o prefeito. Então, agora era inevitável que o PSDB disputasse como protagonista”, afirmou.

“O PSDB é um partido nacional, que tem propostas para a administração, e é inevitável que a gente procure espaço para colocar nossas ideias em prática. Como vice, é difícil”, completou.

Fonte:MidiaNews.

NENHUM COMENTÁRIO

DEIXE SEU COMENTÁRIO