Sindicato dos Produtores Rurais de Rondonópolis quer mudanças
Adventista

Fullbanner1


Sindicato dos Produtores Rurais de Rondonópolis quer mudanças

Fonte: Assessoria
SHARE

Dezenas de produtores rurais de Rondonópolis, Guiratinga e Alto Garças, participaram na noite desta quarta-feira (12), da Assembleia Geral Extraordinária, provocada pelo Sindicato dos Produtores Rurais de Rondonópolis, para discutir questões relacionadas ao Fundo de Apoio ao Trabalhador Rural, Funrural. A cobrança do imposto social foi objeto de discussão no Supremo Tribunal Federal (STF), que decidiu no último mês, por 5 votos a 6, pela constitucionalidade.

O que se discutiu na oportunidade não foi a decisão do STF, mas sim, o posicionamento favorável do presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), João Martins da Silva Júnior. “O presidente da CNA não está defendendo os interesses da classe’, disse Aylon Arruda, presidente do Sindicato Rural de Rondonópolis. “Além disso, ao apoiar a decisão do STF ele está violando o Estatuto da entidade que representa em seu artigo 35 que prevê a eliminação da Diretoria ou do Conselho Fiscal, o membro que, entre outras práticas, patrocinar causa ou providência contra o interesse fundamental e inequívoco da classe”, completou Aylon.

O que os produtores rurais buscam neste momento é o apoio de entidades representativas para provocar algumas mudanças e ações imediatas. Uma delas é pela revisão estatutária da CNA, sugerindo a proibição de uma terceira reeleição para os cargos de presidente e diretores.  Outra questão é que seja instaurado um processo administrativo frente ao comportamento de João Martins, que sequer ouviu os produtores rurais para emitir opinião em nome da CNA. Também foi deliberado pelo recolhimento da contribuição previdenciária em folha de pagamento, hoje estabelecida sobre o valor bruto da receita.

Todas as propostas, aprovadas por unanimidade, foram encaminhadas à Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato), entregue em mãos a seu vice-presidente, Francisco Olavo de Castro Pugliese, que participou da assembleia. Aguarda-se agora que, num prazo de 30 dias ocorra nova assembleia com a apresentação de avanços em relação as  reformas propostas.

Participaram da Assembleia Geral Extraordinária, além de dezenas de produtores rurais de Rondonópolis e cidades vizinhas, o vice-presidente da Famato, Francisco Olavo de Castro Pugliese, o vice-presidente da Aprosmat, Carlos Ernesto Augustin, o presidente do Sindicato Rural de Rondonópolis, Aylon Arruda e seu vice Lucindo Zamboni Júnior e demais diretores.