Silval assume compra ilegal de fazenda de Antônio Joaquim e Janot detona...
Fullbanner1



Silval assume compra ilegal de fazenda de Antônio Joaquim e Janot detona conselheiro afastado em petição

Fonte: Da Redação
SHARE
Ex-presidente do TCE responderá por lavagem de dinheiro, sonegação de renda, recebimento de propina e organização criminosa. Foto - Ednilson Aguiar/O Livre

A vida do ex-presidente do Tribunal de Contas do Estado – TCE e conselheiro afastado da corte de contas de Mato Grosso, Antônio Joaquim, pode se complicar muito mais do que a do seus quatro amigos de trabalho que também tiveram de deixar seus cargos, nesta semana, após despacho do ministro do Supremo Tribunal Federal – STF, Luiz Fux. Isso porque, além de possivelmente ter aceito propina, junto aos colegas, do ex-governador corrupto do PMDB, Silval Barbosa, para aprovar suas contas em meio as obras superfaturadas da Copa do Mundo em Cuiabá, Antônio Joaquim teria feito negócios fraudulentos particulares com Silval.

Segundo o próprio ex-gestor estadual assumiu em delação, Joaquim teria vendido uma fazenda à empresa Trimec Construções e Terraplanagem Ltda, administrada por Wanderlei Torres. Ocorre que este último seria apenas um “laranja” do então governador, que seria o verdadeiro comprador do imóvel. O negócio, segundo Silval, ainda teria sido superfaturado. Enquanto que o valor declarado da operação foi de R$ 4 milhões, a verdade é que Antônio Joaquim embolsou cerca de R$ 10 milhões na venda.

A origem dos recursos envolvidos, segundo consta, foi de um contrato fraudulento do Governo com a própria Trimec e a Votorantim, complementado com desvios do programa de asfaltamento MT Integrado, fraudes no Departamento Estadual de Trânsito – Detran, entre outras maracutaias. O pior de tudo para o conselheiro afastado é que Silval fez questão de enaltecer que Joaquim sabia de todo o esquema. Desta maneira, o ex-presidente do TCE e que almejava disputar o cargo eletivo de senador ou até de governador, em 2018, responde agora por lavagem de dinheiro, sonegação de renda, recebimento de propina e organização criminosa, de acordo com despacho do procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Na busca e apreensão feita na casa de Antônio Joaquim, no condomínio Alphaville, bairro Jardim Itália, em Cuiabá, a primeira equipe da Polícia Federal que chegou no local não deu conta de levar todo material aprendido no local e precisou chamar reforço para levar tudo até a sede da corporação na capital de Mato Grosso.

Montreal