Setor produtivo de MT exige seguimento de Blairo ou indicação de Sachetti...
Fullbanner1



Setor produtivo de MT exige seguimento de Blairo ou indicação de Sachetti ao MAPA

Fonte: Da Redação NMT
SHARE
Foto - Assessoria

Aprosoja, outras organizações e a classe produtiva de Mato Grosso, de uma maneira geral, trabalham junto aos membros do governo eleito de Jair Bolsonaro (PSL) para tentar permanecer com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA, que pode ter de passar com uma fusão com a pasta de Meio Ambiente, nas mãos de um representante do estado. A ideia central é segurar o atual ministro, Blairo Maggi (PP), na condução do setor, mas diante a necessidade de uma segunda opção, caso Blairo não queira prosseguir ou outro empecilho exista, o nome do atual deputado federal, Adilton Sachetti (PRB), surge como principal opção.

Um dos contatos para fazer esta discussão diretamente com Bolsonaro é o presidente da União Democrática Ruralista, Luis Antônio Nabhan Garcia. Nabhan, porém, é um dos especulados como possíveis ocupantes da maior cadeira do novo MAPA. Como trunfo na mesa de negociação, Mato Grosso tem consigo o peso de ser o campeão da produção de grãos no Brasil, bem como na pecuária, onde conta com um rebanho de quase 30 milhões de cabeças de gado. A boa expectativa dos produtores mato-grossenses se vale por atender as intenções do novo presidente que permeia por privilegiar questões técnicas na escolha dos seus ministros e, para tanto, não tem necessidade nem de atender os estados maiores em população e nem mesmo os grandes partidos, já que se elegeu de maneira “isolada”, neste sentido.

Quanto as principais demandas, o setor segue cobrando o fortalecimento da logística para dar celeridade no escoamento da produção, bem como a luta contra a taxação do agronegócio, que voltou à pauta, nos últimos dias, com a defesa de muitos dos novos eleitos, como é o caso do senador do próprio Mato Grosso, Jayme Campos (DEM), que inclusive surpreendeu produtores no estado.