SENAR-MT amplia portfólio para atender demanda de qualificação de profissionais para o...


SENAR-MT amplia portfólio para atender demanda de qualificação de profissionais para o campo

0
Fonte: NOTÍCIAS DE MATO GROSSO com Assessoria
COMPARTILHE

Mão de obra qualificada é um assunto que preocupa tanto os pequenos, quanto os médios e os grandes produtores rurais. Até mesmo os que são reconhecidos e conquistam prêmios por se destacarem e terem suas propriedades como referência, reclamam da mesma coisa. Outro assunto que preocupa os empresários rurais é a rotatividade dos profissionais.

O produtor rural, Raul Santos Costa Neto, da fazenda Lagoa Dourada, localizada no município de Poconé, alega que a dificuldade para conseguir profissionais capacitados e qualificados para atuarem em todos os setores da propriedade é grande. “Quando encontramos, normalmente o profissional tem vícios e, por isso, optamos por capacitá-los assim que começam a trabalhar na propriedade. O objetivo é nivelar conhecimento e melhorar a qualidade do trabalho”, explica.

A fazenda Lagoa Dourada foi uma das propriedades classificadas no prêmio Sistema Famato em Campo. Neto destaca que em 2016 foram realizados dois treinamentos do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (SENAR-MT) na propriedade. “Foi pouco. A demanda era maior, mas nós produtores precisamos nos planejar mais para disponibilizar nossos colaboradores para quando os treinamentos acontecem”, enfatiza Neto.

Segundo ele, o SENAR-MT é um parceiro muito importante na formação de profissionais para atuar no campo. “Em 2017 já temos vários treinamentos programados e estamos pleiteando alguns extras. A necessidade é grande, principalmente na área de operação e manutenção de máquinas e implementos agrícolas”.

Na fazenda Lagoa Dourada é utilizado o sistema de integração lavoura-pecuária e tem como diferencial o plantio direto, a incorporação de matéria orgânica e a translocação dos minerais no solo. Neto conta que a mão de obra utilizada é oriunda da pecuária. “Nós estamos capacitando estes profissionais para trabalhar na lavoura, mas já percebemos que é uma área que precisa de treinamentos constantes”.

Na fazenda Morena, de propriedade do casal Dulce e Romeu Ciochetta uma das vencedoras do Prêmio Sistema Famato em Campo, a reclamação é a mesma. Localizada no município de Campo Novo do Parecis, a propriedade tem como destaque a integração lavoura pecuária e floresta. “Temos uma produtividade bastante elevada”, revela Dulce.

Para o casal Ciochetta, a mão de obra qualificada também é uma preocupação constante. “É preciso treinar e qualificar sempre, mas não é tão simples como parece. É preciso conciliar o plantio e a colheita com os treinamentos. Além disso, ainda precisamos considerar se a pessoa está apta para fazer a qualificação”.

Dulce destaca outra dificuldade. “Inacreditavelmente uma quantidade grande de profissionais que atuam nesta área não tem nem carteira de motorista. Isso dificulta muito treinarmos um profissional nessa área. Temos que começar na base fazendo com que ele adquira a carteira de motorista”.

Com o Sistema Integração Lavoura-Pecuária-Floresta, a fazenda Morena tem cerca de 20 colaboradores mais os terceirizados. A produtora conta que realiza muitos treinamentos do SENAR-MT para capacitar e qualificar seus colaboradores.

Em 2016 o casal não conseguiu conciliar a agenda dos trabalhadores com alguns dos treinamentos planejados pelo Sindicato Rural de Campo Novo em parceria com o SENAR-MT. “Essa é uma dificuldade que enfrentamos e, que temos que solucionar. Temos o SENAR-MT que oferta o treinamento, mas tem momentos que não podemos tirar o profissional do campo para treinar”.

Na Fazenda Seis Amigos as reclamações não são muito diferentes. Voltada para a criação de suínos, bovinocultura de corte e produção de feno. O produtor rural Evandro Basso Daltroso conta que têm profissionais qualificados, mas que precisa de aperfeiçoamento constantemente. “Temos algumas atividades que demandam um pouco mais de capacitação que é o setor de suinocultura e que exige muitos treinamentos”.

Evandro revela que falta mão de obra em todas as áreas da propriedade rural e também reclama da rotatividade. “O profissional é muito volátil, ou seja, surgem muitas oportunidades boas para um profissional qualificado. Não é fácil começar do zero toda hora. Opções de qualificar são várias, o problema é manter o profissional trabalhando na propriedade”.

Para atender essa demanda por qualificação de mão de obra, o SENAR-MT lançou 20 treinamentos. Com isso, o portfólio da instituição passou a oferecer em 2016 mais de 250 treinamentos para atender a necessidade das 15 cadeias produtivas.

De acordo com o superintendente do SENAR, Otávio Celidonio o objetivo de oferecer capacitação e qualificação para o homem do campo, o SENAR-MT além dos 254 treinamentos, também disponibiliza 35 cursos de Educação a Distância. A partir deste ano, a entidade também passou a oferecer educação formal com o início de duas turmas com 50 participantes cada uma, por meio da Rede e-Tec. Este é um programa de formação técnica de nível médio, na modalidade a distância, criado pelo governo federal com duração de 1.230 horas. “As aulas acontecem no Centro de Treinamento e Difusão Tecnológica de Sorriso e Campo Novo do Parecis”, diz Celidonio.

Assessoria de Comunicação do SENAR-MT
www.senarmt.org.br