Sem bronca: Abel ameniza derrota e diz que vai ao teatro esfriar...
Supermoveis



Sem bronca: Abel ameniza derrota e diz que vai ao teatro esfriar a cabeça

Fonte: Hector Werlang
SHARE

O Fluminense perdeu sua invencibilidade no Campeonato Carioca de maneira implacável. A derrota por 3 a 1 para o Nova Iguaçu (veja os melhores momentos no vídeo acima), no Giulite Coutinho, foi marcada por erros individuais. No entanto, embora tenha reconhecido a inferioridade de sua equipe neste domingo, Abel Braga mostrou-se tranquilo e confiante numa rápida reação.

– Essa derrota, a gente não esperava da maneira
que foi. A gente sabia das qualidades no Nova Iguaçu, um time bem montado. Após
o gol de empate, tivemos algumas chances. O volume de jogo foi abaixo do que estamos
acostumados. Uma vitória merecida, eles jamais se postaram atrás. Estamos
tranquilos. Tivemos postura boa nas vitórias, agora temos de ter na derrota. O
erro coletivo se ameniza. Com certeza, os erros individuais não
vão se repetir com esses jogadores. Fica de lição. Perdemos quando podemos
perder. Vamos seguir. Neste momento, com 15 jogos e apenas duas derrotas, não é
hora de bronca. Tiveram alma, correram. A vitória do adversário foi justíssima.

Confira outros trechos da entrevista coletiva de Abel Braga, que revelou como vai esfriar a cabeça após o revés:

Pedro- Não gosto de falar muito individualmente. Esse menino é bom jogador. Esse gol de hoje se deve ao trabalho após o treino com o Leomir. Ele tinha tempo de bola bom, mas o movimento do pescoço era ruim. Você viu que ele acenou ao banco. Além do gol, as outras três oportunidades foram com ele. Isso é interessante. Ele sempre está presente. Tem grande futuro. Tem um bom caminho pela frente.

Cavalieri e defesa- Se foi falta de ritmo, quem vai analisar é o preparador de goleiro. Se não o escalo, como vai ter ritmo de jogo? Ele jogou bem na quarta. Não é por aí. A defesa teve falhas pontuais. Bola dominada, nenhum zagueiro meu foi driblado. Nós erramos. Isso acontece. Vamos analisar, conversar entre nós. Tem de dar apoio. A jogada é tão simples que fico surpreso, assim como eles. Dominou para depois pensar. Aí, os caras tomaram a bola. Isso vai fazer os caras crescerem. É impossível não ter erro. Hoje, abraço eles todos. Especialmente os que falharam.

Confiança para ousarem- Claro, eles ousam. É, por isso, que têm bom nível. São atrevidos em campo. Lucas Fernandes entrou muito bem, Pedro foi bem, o Wendel provou ser bom jogador. Sabe como vou esfriar a cabeça após essa derrota? Vou ao teatro. Ver a peça do Dan Stulbach “A morte acidental de um analista”. Vou ver de novo. Depois do clássico, verei de novo. É fantástica. Não é uma derrota que vai me fazer duvidar de tudo que foi feito. A gente não joga trabalho pela janela, nem confiança. Isso se conquista.

Clássico- Quinta-feira, vou para o duelo. Vai todo mundo. Hoje, descansaram. Aí, domingo pode ser outra equipe.

Lucas Fernandes- Ele joga pelo lado do campo, né? Viu quem está na frente? Richarlison e Wellington. Pronto. Está respondida a pergunta. Quem sabe, ali na frente, com um cartão pode ter uma chance. Hoje eu gostei imensamente da forma como ele entrou. Muita personalidade, solto. O campo estava pesado, jogo difícil. Eu gostei. Isso foi legal. Eu não vinha gostando de como ele vinha jogando. Hoje, gostei. Obvio que enxergo ele. O cara é diferente. Pegou três ou quatro bolas, rasgou a defesa dos caras. Ele vai ter o momento dele. Por ora, estou imensamente satisfeito com Richarlison e Wellington.