Sem atuar desde 2015, Souza volta ao futebol contra o Botafogo: “Ansiedade”
Fullbanner1

Gov

Adventista

Sem atuar desde 2015, Souza volta ao futebol contra o Botafogo: “Ansiedade”

Fonte: Gustavo Garcia
SHARE

Quando a bola rolar para Madureira e Botafogo na tarde desta quarta-feira, em Moça Bonita, pela primeira rodada da Taça Guanabara, o torcedor Alvinegro vai se deparar com um velho conhecido no time rival na estreia do Campeonato Carioca. Sem entrar em campo desde o dia 25 de julho de 2015 devido a uma ruptura no ligamento cruzado do joelho direito, o atacante Souza, que ficou marcado fomentar a rivalidade entre o Flamengo e o Alvinegro no ano de 2008 ao lançar o “chororô”, vai retornar aos gramados um ano e meio após ficar longe do futebol. Justo contra o adversário que mais polemizou durante a carreira.

A provocação inicial ao Bota aconteceu em um jogo do Fla contra o Cienciano-PER pela Libertadores. A partida aconteceu três dias depois que o Rubro-Negro bateu o Glorioso na final da Taça Guanabara de 2008 – jogo que ficou marcado por polêmicas e muitas reclamações pelo lado do time de General Severiano. Enquanto a torcida nas arquibancadas cantava “ninguém cala esse chororô”, fazendo alusão a uma música cantada pelos alvinegros, Souza marcou um gol e não perdoou. Com as mãos nos olhos, imitando um choro, quis zombar dos rivais do último confronto.

Em 2011, defendendo as cores do Bahia, em um jogo contra o Botafogo pela 28ª rodada do Brasileiro, que terminou empatado em 2 a 2, o atacante abriu o marcador e voltou a fazer a provocação ao balançar as redes. (Veja a comemoração no vídeo acima).

Hoje, aos 34 anos, no entanto, e vivendo uma fase mais madura – sem o trocadilho com o clube que vai defender no estadual – o jogador prefere tratar a partida como apenas mais uma a ser jogada. Mesmo se declarando ao Fla e mostrando um enorme expectativa pelo retorno, Souza optou por colocar panos quentes ao ser questionado sobre voltar ao mundo da bola contra o Glorioso.

– É verdade, vou ter que retornar contra o Botafogo. Todo mundo sabe que eu sou Flamengo, que eu sempre fui. É o meu time de coração. Mas vou procurar tratar como se fosse um jogo normal. A ansiedade é grande. Mas o mais importante vai ser ajudar o Madureira a conseguir os três pontos – declarou o centroavante, que também se mostrou feliz por vestir pela primeira vez a camisa do Tricolor Suburbano, time que lhe revelou para o futebol, mas só defendeu na base.

– Estou muito motivado a voltar. Tive uma lesão no joelho e tive que ficar muito tempo parado. Não estou 100% ainda, mas tenho melhorado bastante a cada dia que passa. Estou muito ansioso por ter muito tempo sem jogar. Nunca vesti a camisa do profissional do clube, somente na base, mas fui vendido para o Vasco. Então, espero poder entrar e ajudar a equipe. O time está muito bom e tem jogadores experientes e jovens de muita qualidade. Tenho certeza que faremos um bom jogo e um bom Campeonato Carioca – declarou.

Revelado pelo Tricolor Suburbano, Souza deixou o clube em meados do ano 2000. A partir daí, acumulou passagens por diversas equipes ao longo da carreira, como Vasco, Internacional, Marítimo-POR, Goiás – onde foi artilheiro do Brasileirão em 2006 -, Flamengo, Panathinaikos-GRE, Corinthians, Bahia, Vitória, Criciúma e Paysandu, onde atuou até o final de julho de 2015.

Entre os seus principais títulos, estão três edições do Carioca, dois pelo Flamengo e um pelo Vasco, um Gaúcho pelo Internacional, um Paulista e uma Copa do Brasil pelo Corinthians, e um Campeonato Baiano pelo Bahia. Além do título do Mundial sub-17 pela Seleção, em 1999.

No Grupo B, o Madureira estreia no Campeonato Carioca nesta quarta-feira, às 16h30, em Moça Bonita, contra o Botafogo, pela primeira rodada da Taça Guanabara.