Sem água no feriado, moradores do Sagrada Família se revoltam
Adventista

Fullbanner1


Sem água no feriado, moradores do Sagrada Família se revoltam

Fonte: Da Redação NMT
SHARE
Foto - Ilustração

A moradora do bairro Sagrada Família, Regiane Maria da Conceição, e outro da mesma localidade que não quis se identificar, entraram em contato com o NMT, nesta sexta-feira (16) de feriado prolongado em muitas repartições públicas, para novamente registrar a reclamação da falta de água na região onde moram. Segundo Regiane, que mora na mesma casa há 7 anos, além dos já conhecidos problemas de falta de infraestrutura no bairro, a torneira seca e as caixas d’água vazia são realidades rotineiras na sua vida. Na semana passada toda e na semana corrente, segundo ela, apenas dois dias sua família teve a disponibilidade de água.

“Em todo o tempo que mora aqui é isso de não saber se amanhã você vai ter água ou não. Eles sempre dizem que é a bomba que deu problema, ocorre que quando eu vou lá e abro minha conta no Sanear eu não digo que quero 15 ou 20 dias por mês, quero os 30. Eu já perguntei pra eles (do Sanear) me explicarem de onde realmente vem minha água e nenhum deles sabe me explicar. Se faltar a água que vem do Atlântico, eu fico sem água, se faltar no Cidade Alta também fico sem, se der problema na bomba aqui da Coophalis mesma coisa, então de qualquer jeito eu sou prejudicada. Eu e todo mundo que mora aqui na parte baixa, no fundo do Lar dos Idosos. Nós entendemos que existem problemas técnicos, que as coisas dão defeito, mas alguma coisa precisa ser feita ou então vamos ficar dependendo desta bomba até quando”, indagou a reclamante.

Um outro cidadão que reforçou a reclamação de Regiane, disse à reportagem que espera que o Poder Pública resolva de uma vez por todas a questão. “Parece que esse problema faz parte da vida da gente e não podemos aceitar isso. Pagamos nossos impostos para exigir que a Prefeitura cumpra com o seu papel de entregar as condições mínimas pro povo viver. A questão da falta de asfalto é terrível, mas não ter água simplesmente não tem como viver. Quem ainda tem um reservatório maior em casa consegue se virar por um tempo maior, mas quem não tem essa condição fica nessa agonia todo tempo. Entra prefeito e sai prefeito e algumas regiões da cidade não conseguem ver solução nisso. Tem esse número agora (contato Sanear), a gente recebe a atenção e a resposta, tem boa vontade dos funcionários. De repente, é que eles não estão tendo condições de trabalho para resolver a questão”, analisou.

O diretor técnico do Serviço de Saneamento Ambiental de Rondonópolis – Sanear, Hermes Ávila, confirmou o desabastecimento de alguns pontos do Sagrada Família e reforçou a versão de Regiane sobre a causa do problema ser a queima de uma bomba de captação. Ele, porém, garantiu que nas próximas horas tudo deve ter voltado ao normal “A gente tem parte do Sagrada Família que é abastecida pelo sistema do Cidade Alta e ali não está com problema. O que está com problema é da região do “linhão” sentido Eta (Estação de Tratamento de Água), justamente por causa da queima de uma bomba pressurizada que fica dentro da Eta. A gente fez a troca, colocou uma reserva, perdeu vazão e tivemos de trocar novamente. Até as duas da tarde, deve estar arrumado o sistema e o abastecimento começa a acontecer, mas o reflexo pode ser de até 24 horas”, explicou.