Secretário comenta incidente e vereadores cobram melhorias no aeroporto de Rondonópolis
Supermoveis


Macropel

Secretário comenta incidente e vereadores cobram melhorias no aeroporto de Rondonópolis

Fonte: Thiago Mattar
SHARE
Secretário fala em caso isolado e vereadores cobram melhorias. Foto: Arquivo.

Na madrugada desta quarta-feira (8), um voo foi impedido de pousar no Aeroporto Maestro Marinho Franco, em Rondonópolis, devido à falta de luzes na pista, que são necessárias para a orientação do piloto no balizamento das aeronaves. Com o impedimento do pouso, o embarque e o desembarque de passageiros foram cancelados e a aeronave redirecionada para o aeroporto de Cuiabá/Várzea Grande.

Segundo a equipe da Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito (Setrat), o problema teria sido causado por um curto circuito após fortes chuvas registradas no local. Já para alguns vereadores da Câmara de Rondonópolis, o incidente é mais um reflexo da crise aeroportuária na cidade.

Por telefone, o secretário Rodrigo Metello comentou que não há carência de funcionários, como noticiado anteriormente, e que o incidente é isolado, não influenciando na rotina normal do aeroporto. “O balizamento voltou ao normal, agora só depende do tempo”, comentou o responsável pela Setrat, em referência ao clima chuvoso.

Diante das denúncias anteriores relacionadas ao aeroporto (falta de pessoal e até falta de combustível), o vereador Adonias Fernandes (PMDB) defendeu que a responsabilidade administrativa seja retirada do município e repassada ao governo do estado. “É lamentável, desde 2013 é esse caos”, disse.

Para Roni Magnani (PP), a situação é grave e merece atenção da Câmara. “Eu considero um retrocesso que um aeroporto como o nosso, de uma cidade do porte da nossa, seja repassado para o estado; as providências sobre o funcionamento do aeroporto devem ser tomadas pela Setrat urgentemente”, comentou.

Magnani ainda adiantou que, em regime de urgência, vai requerer que o secretário compareça à Câmara de Vereadores para prestar esclarecimentos sobre a situação aeroportuária do município.

Já o vereador Fábio Cardoso (PPS) destacou que na gestão anterior foram realizados investimentos na estrutura do aeroporto e que há descaso da gestão atual na continuidade dos serviços. “É responsabilidade do município, ele recebe as tarifas de embarque e precisa prestar um bom serviço”.

“Passar para o estado… jamais! O estado está fechando até UTI, sem cumprir as obrigações que ele tem, nem com a Educação, nem com a Saúde, nem com o Esporte, nem nada. Se passarmos mais uma obrigação para o estado, aí estamos enrolados mesmo”, alfinetou o vereador Sidnei Fernandes (PDT).

“Ninguém quer ser o ‘pai da criança’ do aeroporto de Rondonópolis, a cidade foi forjando, foi criando, aí o governo jogou a responsabilidade para o município; e o investimento do aeroporto é gigantesco, e, talvez pelas dificuldades de primeira hora do prefeito, [ele] não tem conseguido equacionar isso aí”, comentou Orestes Miráglia (SD).

 

Montreal