São seis anos, mas parecem seis dias
Fullbanner1



São seis anos, mas parecem seis dias

Fonte: Chico Oliveira
SHARE

Neste 9 de maio de 2018, se passam seis anos que o site Notícias de Mato Grosso aproveitou a luz do sol e foi pela primeira vez ao ar. Ainda quando surgiu, em meio a efervescente campanha de 2012, a pauta política surgiu como o carro chefe do nosso veículo. Havia, em Rondonópolis, de um lado um candidato que recém tinha herdado o posto de prefeito, após uma cassação do anterior, e que buscava uma reeleição improvável. Do outro, ressurgia no cenário a figura de alguém já mais consagrado e que fatalmente viria ser o vencedor. Para fechar, um dos mais folclóricos petistas de Mato Grosso era a terceira via. Cobrimos aquela eleição como alguém que estava dentro dela, as informações vinham do ventre dos partidos e com a riqueza de detalhes que só tinha quem havia participado das reuniões de porta fechada. Não apenas transmitíamos, modestamente fizemos parte.

Tínhamos fontes dentro do turbilhão e trazíamos furos de reportagem, até com antecipações de fatos, como a definição de um candidato a vice do PSDB para a chapa que viria ser vencedora com algumas horas antes disso ser oficialmente propagado pelos atores políticos. Embora com um resultado bem resolvido, desde o começo, aquela eleição foi polêmica e bem complexa. Um candidato a vereador relevante acabou sendo morto e um tom cinza cobriu a cidade. Um repórter fotográfico do site por pouco não foi agredido enquanto retratava um incêndio em um dos ecopontos da cidade por um dia revoltado com a iminência da derrota. A proposta que pensei dar ao site desde o início era de coragem, de determinação e que não havia fato impublicável, desde que fosse respaldado na verdade. Isso, fiz questão de deixar pessoalmente muito claro, a todos que foi preciso dizer.

Consegui, com um boa dose de sorte, uma equipe que comprou a ideia e após cinco meses de vida o NMT já figurava, no dia das eleições, em outubro, como um dos mais acessados não só da cidade, como da região sul de Mato Grosso. Durante a apuração, onde transmitíamos ao vivo cada novo voto contabilizado pelo TSE, já eramos conhecidos e reconhecidos, virtual e pessoalmente. O Notícias de Mato Grosso não era só um veículo que as pessoas tinham “ouvido falar”, mas um site que acessavam até mesmo quando já conheciam o fato, com intuito de ver nossa abordagem do assunto. Todos os participantes daquele pleito, vencedores e perdedores, tanto do legislativo como no Executivo, reconheceram o trabalho que foi feito, bem como o público que diariamente só aumentava. Enfim, tive a certeza que uma nova marca passou a fazer parte do cotidiano de quem consome informação em Mato Grosso.

O que aconteceu naquela campanha e que fiz questão de registrar neste texto, na verdade é um espelho bem detalhado do que foi todo o restante da vida deste veículo de comunicação. Alguém me disse uma vez que se o telefone não toca praticamente em seguida após uma denúncia ou uma matéria mais pesada ir ao ar, com reclamação da parte “afetada”, alguma coisa de errada está acontecendo com a credibilidade ou com a relevância desta empresa de comunicação. No Notícias de Mato Grosso, isso nunca deixou de ocorrer e eu devo muito disso as pessoas que com competência me ajudaram, literalmente, a escrever esta história. Foram mais de 20 jornalistas que vestiram essa camisa neste tempo todo, outros profissionais administrativos também fizeram parte da equipe. Alguns verdadeiros artistas digitais nos ajudaram no layout, um especificamente eu agradeço todo dia pela parceria. Temos alguns que ensinamos neste trajeto, mas a maioria nos ensinou.

Eu não poderia deixar de dizer dos nossos colunistas, todos eles… Tanto os que já não estão mais conosco como os que ainda enriquecem o site com informações aprofundadas sobre os temas de maior interesse da população. Estes profissionais ajudaram e muito no engradecimento do NMT. Por último e não menos importante, aliás, exatamente o contrário disso, o público do site é o verdadeiro termômetro que explica o sucesso alcançado. A interação que recebemos do público via redes sociais, nos comentários das matérias e até em ligações rotineiras, seja com sugestões de pautas ou mesmo com críticas extremamente detalhistas, como quem se entende como parte da família, é certamente a fórmula que nos fez dar certo. Um site hoje precisa de interação para sobreviver, não adianta só a informação ir, mas ela tem de voltar também e sempre fazemos questão de estar com ouvidos e olhos bem atentos a isso. Cada um dos nossos leitores é um pouco mais especialista que o outro em um setor específico, mas é impressionante como todos sabem identificar com exatidão, logo de cara, a qualidade de uma informação bem passada.

Poderia citar casos emblemáticos como a morte, até hoje pouco explicada, de um famoso apresentador de TV que ousamos mexer no vespeiro de uma versão pouco encaixada. Ou mesmo poderia citar uma excursão que resolvemos fazer na fazenda de um então prefeito de uma cidade vizinha, onde nos deparamos com maquinários públicos executando obras e, obviamente, levamos isso tudo a conhecimento do nosso público, vendo posteriormente o assunto virar processo judicial, como em tantas outras vezes. Foi pelo Notícias de Mato Grosso que um coronel da PM, que mascarava dados para se manter no comando e com prestígio político, foi desmascarado e tirado do cargo, após expor, em áudio que tivemos acesso, o atual governador em situação delicada. Ainda caberia espaço para agradecimentos dos mais diversos, até porque há muito mais a agradecer e se orgulhar do que se lamentar nessa trajetória toda, mas acho que já é hora de encerrar este texto. Até porque, em internet, não são aconselhados textos muito extensos.

Nós seguimos manuais e técnicas de redação, prezamos pela ética, mas a verdade é que o que faz nosso noticiário render mesmo é nossa vontade incessante de contribuir socialmente com o estado, para a justiça dos fatos, das reputações e da construção de dias melhores. E se para chegar até onde merece, o Mato Grosso terá que deixar pelo caminho ou na cadeia pessoas que impedem esse avanço, o NMT terá o maior prazer do mundo de ajudar nesta limpeza.

Chico Oliveira – Diretor, analista político e criador do site Notícias de Mato Grosso