Samba? Funk? Nada… Fla agora é homenageado em disco de hardcore
Fullbanner1



Samba? Funk? Nada… Fla agora é homenageado em disco de hardcore

Fonte: Marcos Felipe
SHARE

Mesmo quem não é torcedor do Flamengo conhece ou já escutou
alguma música em homenagem ao Mais Querido. Do samba de João Nogueira a um
pagode do Junior, do funk do Mc Marcinho ao soul de Jorge Ben Jor em “Fio
Maravilha”, por exemplo. Agora, um disco inteiro dedicado ao clube já é algo
menos usual que até mesmo flamenguistas fanáticos desconhecem. E quando esse disco
é de punk rock/hardcore? Assim é “Tua glória é lutar”, álbum dos cariocas do Ataque
Periférico com versões pesadas e ultrarrápidas de canções cantadas nas arquibancadas
e de músicas de compositores famosos.

– A ideia era beber um pouco na fonte de artistas famosos
que cantavam Flamengo, como “Samba Rubro-Negro”, do João Nogueira, além de musicas de torcidas e composições nossas, como “No meu quengo é só Flamengo” (trecho da letra ao lado). A letra é uma homenagem a uma música cantada pelo Flamengo, que é o samba da Estácio de 95 que a torcida geralmente entoa quando o time está ganhando por 2 a 0 ou 3 a 0 com o jogo já resolvido… Na letra, a gente fala justamente sobre isso: que o time tem de jogar com raça e ganhar para torcida poder cantar o samba e se divertir nas arquibancadas – ressalta Valcimar Lucas, vocalista
da banda. Além dele, fazer parte do Ataque Periférico: Rafael (Guitarra), Athos
(Baixo) e Ricardo (Bateria).

 Ao todo, “Tua é glória é lutar” tem sete músicas (uma delas você escuta no
videoclipe acima exclusivo do GloboEsporte.com – com letra e tudo mais!) e será lançado fisicamente em março
(a versão digital, que saiu no final de 2016, você pode escutar aqui), com quase
todas exaltando as glórias do Flamengo, ídolos e até mesmo a própria torcida.

– Tinham mais letras, tinham mais músicas. Mas ficamos preocupados
de ficar cansativos. E teve aquela coisa do cheirinho do hepta e lançamos sete
músicas (risos).

Segundo ele, a ideia do álbum em homenagem ao
Flamengo surgiu após a banda fazer uma promessa para o… Flamengo, claro.

– A ideia do disco surgiu em 2006 quando fomos fazer uma
turnê na Europa. Lá então fizemos uma promessa de que em qualquer show pelo
menos um integrante da banda tinha que tocar com uma indumentária do Flamengo,
um boné que fosse. E aí nesse clima surgiu a ideia de “já pensou se lançássemos
um disco só com músicas para o Flamengo”. Mas acabou que o projeto ficou engavetado.
Nesse meio tempo a banda deu uma parada e aí retomamos a ideia no ano passado –
conta Valcimar Lucas.

 

A paixão pelo Flamengo entre os integrantes do Ataque
Periférico é tanta que entre um show e um jogo do Flamengo, a banda opta pelo
jogo.

– Nossa relação com o Flamengo vem desde o inicio da banda.
Eu sempre fui muito fanático. O Rafael (guitarrista) também é outro doente. Teve
shows que eu atrasei porque eram na mesma hora de jogos do Flamengo. Em 2007,
tínhamos um show com uma banda gringa famosa na Lapa… Mas no mesmo dia da
última rodada do Brasileirão. Tocamos atrasados, claro – revelou Valcimar.