Salles: “Era inevitável que o PSDB disputasse como protagonista”

Salles: “Era inevitável que o PSDB disputasse como protagonista”

Atual vice-prefeito, candidato tucano nega rompimento com o chefe do Executivo, Percival Muniz

SHARE
Foto:Marcus Mesquita/MidiaNews O vice-prefeito de Rondonópolis Rogério Salles: momento de ser protagonista

O atual vice e candidato a prefeito de Rondonópolis (212 km de Cuiabá), Rogério Salles (PSDB), afirmou que seria inevitável que os tucanos lançassem candidatura majoritária nas eleições deste ano.

Segundo ele, desde a gestão de Adilton Sachetti (PSB), em 2004, que o partido vem apoiando candidaturas ao invés de disputar como “protagonista”.

Naquele ano, os tucanos estavam coligados com Sachetti. Em 2008, os tucanos estavam com a candidatura vitoriosa de José Carlos do Pátio (SD). Já em 2012, a coligação foi com o atual prefeito, Percival Muniz (PPS).

 

O PSDB é um partido nacional, que tem propostas para a administração, e é inevitável que a gente procure espaço para colocar nossas ideias

“Sempre colocamos ideias do PSDB que poderiam estar em prática. Mas, quando você participa apoiando, tem poucas chances de colocar essas ideias em prática, por mais que se tenha um bom relacionamento com o prefeito. Então, agora era inevitável que o PSDB disputasse como protagonista”, afirmou ao MidiaNews.

“O PSDB é um partido nacional, que tem propostas para a administração, e é inevitável que a gente procure espaço para colocar nossas ideias em prática. Como vice, é difícil”, completou.

Desta forma, Salles negou que esteja “rompendo” com Percival e disse que fará uma campanha sem ataques aos adversários.

“Não é questão de romper. Fizemos uma aliança para esse período de mandato e sempre deixamos claro que o PSDB é um partido grande que quer buscar disputar eleições. Além disso, o Percival vinha, há algum tempo, dizendo que poderia ou não disputar. Então, saímos buscando alianças e acabamos assumindo compromissos”, disse

“Mas nossa ideia é fazer uma campanha com propostas. Não é fazer uma campanha buscando pontos fracos dos adversários. Até porque não teria sentido ficar criticando a atual gestão”, afirmou.

Disputa polarizada e apoio de Taques

O candidato do PSDB admitiu que a disputa deverá ser polarizada entre Percival e Zé do Pátio no início. Entretanto, para ele, na medida em que os eleitores forem conhecendo suas propostas, ele deverá ultrapassar os adversários.

“Imagino que eles saiam na frente no começo, até porque o prefeito está exercendo o mandato e o Zé Carlos vem trabalhando [a candidatura] há um ano e pouco. Mas na medida em que fomos apresentando as propostas, a coisa equilibra e vamos ganhar eleição”, disse.

Por fim, Salles negou que já esteja acertada a presença do governador Pedro Taques (PSDB) em seu palanque.

“O governador tem uma relação boa com o Percival, com o Zé do Pátio e é do meu partido. Naturalmente, acaba um pouco mais vinculado à minha campanha por conta dessa questão partidária. Mas não conversamos para saber como ele vai se posicionar. Espero contar com o apoio dele, mas também não estou exigindo nada. Vai ficar a critério dele”, afirmou.

Fonte:MidiaNews.

1 COMENTÁRIO

DEIXE SEU COMENTÁRIO