Saiba como votam as lideranças de Rondonópolis no domingo (28)
Adventista



Saiba como votam as lideranças de Rondonópolis no domingo (28)

Fonte: Da Redação NMT
SHARE
Foto - Ascom/Prefeitura de Rondonópolis

O ex-prefeito Percival Muniz (PDT), que por complicações com a Justiça e uma desmotivação pessoal não quis sequer tentar uma viabilidade de candidatura em 2018, gravou um vídeo que circula nas redes sociais anunciando voto no candidato do PT, Fernando Haddad (PT), no segundo turno das eleições presidenciais que será finalizado com as votações do próximo domingo (28).

O mesmo já tinha sido feito pelo candidato derrotado ao Governo de Mato Grosso e atual senador, Wellington Fagundes (PT). Já o prefeito de Rondonópolis, Zé Carlos do Pátio (SDD), embora evite o assunto publicamente, é outro que vai de 13, até porque se não fosse arranjaria um grande problema em casa, visto que a mulher e os três filhos são militantes da causa petista em suas redes sociais.

O deputado federal e cacique político do MDB, Carlos Bezerra (MDB), é um dos que defendia que seu partido tivesse se posicionado nacionalmente a favor de Haddad, coisa que ele pessoalmente tem feito em entrevistas. A contragosto do veterano, porém, o partido decidiu ficar neutro na disputa de segundo turno. O vereador e deputado estadual recém-eleito, Thiago Silva (MDB), pupilo de Bezerra, não declarou voto, mas deve seguir seu mentor.

Time Bolsonaro

Do outro lado do ringue político, ainda dentro do universo rondonopolitano, outras grandes lideranças da cidade já aparecem até mesmo ao lado do próprio Jair Bolsonaro (PSL) pedindo votos dos mato-grossenses. Esse é o caso do ex-prefeito de Rondonópolis, Adilton Sachetti (PRB), que disputou o Senado Federal, em 2018, alcançando a quarta colocação no estado e a primeira na cidade.

Já o atual senador e segundo deputado federal eleito com mais votos na votação do último dia 8, José Medeiros (Pode), que também tem como base Rondonópolis, não só vota como é um dos coordenadores nacionais da campanha de Bolsonaro, tendo viajado o Brasil nas últimas semanas junto com o também senador capixaba, Magno Malta (PR), pedindo votos para o 17.

De maneira mais tímida, sem se posicionar claramente nas redes sociais, mas sem deixar de cravar quando questionado, o ex-prefeito de Rondonópolis e ex-governador de Mato Grosso, Rogério Salles (PSDB), pontua que a população negou o projeto de seu partido, que não é parecido com nenhum dos dois ainda em disputa, mas vê, pessoalmente, um “mal menor” com Bolsonaro.

O recém-eleito para deputado estadual, delegado Claudinei Lopes (PSL), por questões óbvias e partidárias, é mais um dos rondonpolitanos a fazer campanha para Bolsonaro no estado.