Safra de arroz no Norte do Estado cresce 25%


Safra de arroz no Norte do Estado cresce 25%

0
Fonte: Por EPAGRI
COMPARTILHE

A safra 2016/17 de arroz irrigado na região do Litoral Norte de Santa Catarina foi 25,85% maior que o período anterior, resultando numa colheita de 317.066 toneladas do grão. Os números são do Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola da Epagri (Epagri/Cepa).

O crescimento tão expressivo entre uma safra e outra tem um motivo: os graves problemas de clima registrados no período anterior, que prejudicaram a produção de arroz no Norte do Estado, explica Glaucia de Almeida Padrão, Analista de Socioeconomia e Desenvolvimento Rural da Epagri/Cepa.

Para efeitos de cálculo de safra, a Epagri divide a região Norte em três microrregiões: Blumenau, com 14 municípios; Itajaí, com 9 municípios; e Joinville, que reúne 10 cidades do entorno. Joinville foi a microrregião que apresentou maior volume produzido e também maior crescimento de produção (32,73%). Em seguida aparecem as microrregiões de Itajaí e Blumenau.

A produtividade das lavouras de arroz irrigado no Norte do Estado também cresceu de maneira expressiva nesta safra, quando comparada ao período anterior: 23,43%. Tal crescimento, que revela um aumento da capacidade produtiva no mesmo espaço, é reflexo das tecnologias difundidas pela Epagri e adotadas pelos rizicultores catarinenses. A área plantada com arroz irrigado na região aumentou 1,96% desde a safra passada.

Na quarta-feira (28), a Epagri reuniu em Massaranduba agricultores, técnicos, representantes de empresas de beneficiamento, de sindicatos e cooperativas ligadas ao setor para fazer a avaliação da última safar de arroz irrigado no Litoral Norte catarinense. Nessa ocasião os números foram apresentados e discutidos, para posterior compilação feita pela Epagri/Cepa.

Na região Sul do Estado, que avaliou sua safra no início do mês, os números foram considerados históricos. Lá a safra 2016/17 de arroz irrigado cresceu praticamente 10% em relação ao período anterior, resultando numa colheita de 736 mil toneladas. A produtividade também foi alta, chegando a 7.755kg/ha, acima da média da região, que se mantém em torno de 7.200 kg/ha desde 2002. O clima favorável e a adoção de cultivares com alto potencial produtivo impulsionaram a safra do grão na região.