Roger analisa chance para reservas e lista motivações para jogo de domingo
Fullbanner1


Macropel

Roger analisa chance para reservas e lista motivações para jogo de domingo

Fonte: Laura Bernardes (*)
SHARE

O Campeonato Mineiro terá a última rodada da primeira fase neste domingo. O Atlético-MG
enfrenta a Caldense, às 16h (de Brasília), no Ronaldão, com a classificação
garantida e a liderança isolada. O técnico Roger Machado já avisou que vai optar por usar jogadores que
ainda não tiveram muitas oportunidades, para que possam mostrar trabalho e se candidatar a futuras vagas.

– A gente leva um time com jogadores com menos minutos em
campo, mas que querem mostrar sua qualidade e desejo de ter mais oportunidade
ao longo do ano. É importante valorizar este momento e fazer um bom jogo
valorizando os que têm menos minutos em campo. 

Um dos motivos para Roger optar por estes jogadores são os
próximos compromissos da equipe. Na próxima quinta-feira, o Galo recebe o
Sport Boys, da Bolívia, pela Libertadores, em busca da primeira vitória no torneio. No outro domingo, terá o primeiro jogo da semifinal do Estadual. Com o calendário apertado, a alternativa
foi poupar os jogadores principais.

– Um calendário equilibrado passa por isso. Não tem parte
ruim. Duro é ter três meses do ano com 20 jogos já jogados. Esse ano como
estamos administrando as competições ao longo da temporada deu condição do
numero de lesões ser menor. Temos semanas mais abertas para trabalhar. Não há
prejuízos, só tem benefícios importantes, principalmente neste começo de
temporada, que é de aquisição. Mantendo os atletas presentes no trabalho,
conseguimos aumentar a questão do volume de treinos e jogos. Assim, protegemos
a musculatura para essa temporada desgastante. A partir de agora vamos ter
jogos seguidos quarta e domingo. É importante ter estes lastros antes para o
futuro da temporada.

Amistoso? Nada disso!

A partida, que para muitos pode ser vista com indiferença, é
levada a sério por Roger. O treinador garantiu que o jogo não está sendo visto
como um “amistoso”, uma partida sem importância, mas sim como oportunidade de
levantar o ânimo da equipe depois da derrota no clássico.

– As nossas motivações independem das motivações do
adversário. Não podemos permitir que o ambiente paute o tamanho do jogo. A
motivação do atleta tem que ser de dentro para fora. Fazer melhor pelo clube,
pela sua oportunidade em vencer, oferecer ao torcedor a vitória, ganhar mais
três pontos e aumentar a diferença mesmo já classificado. Tem muito em campo.
Não é amistoso, é Campeonato Mineiro. A opção de levar uma equipe diferente é
pelo jogo na quinta da Libertadores. Se não fosse assim, levaríamos todos
disponíveis ao jogo. É a oportunidade em voltar a vencer depois da derrota no
clássico. Essas são as motivações deles, temos que cuidar das nossas.

A outra oportunidade em que optou por um time reserva,
foi no jogo contra a Chapecoense, pela Primeira Liga. Na ocasião, a escalação
do treinador foi: Uilson, Carlos César, Jesiel, Felipe Santana, Leonan, Ralph (Cícero),
Yago, Carlos Eduardo (Anderson), Cazares, Rafael Moura, Clayton. No treino de
sexta, a escalação usada pelo treinador foi Uilson; Carlos César, Felipe Santana, Erazo e
Leonan; Adilson, Yago, Danilo, Carlos Eduardo, Marlone e Flávio.

– Este time se comportou muito bem. Só devo não levar o Rafael Moura daquele time, porque tem dois
amarelos. Cazares também fica aqui. Adilson estreia, Marlone vai conosco. Só Cazares
e Rafael que não vão. Na infelicidade de tomar cartão no jogo de domingo e não
ter a decisão do Fred, não quero correr esse risco na semifinal. (*) Sob supervisão de Valeska Silva

Montreal