Rodrigo Maia diz que governo conseguirá aprovar reforma da Previdência
Adventista

Fullbanner1


Rodrigo Maia diz que governo conseguirá aprovar reforma da Previdência

Fonte: NOTÍCIAS DE MATO GROSSO com Agência Câmara
SHARE

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, afirmou nesta terça-feira (25) que o texto final da reforma da Previdência foi construído de forma negociada com todos os partidos e que será aprovado em Plenário.

“Quando tiverem condição de analisar com cuidado o texto, os deputados vão se se sentir parte de uma proposta que avança na reforma”, avaliou o presidente.

Rodrigo Maia reuniu-se hoje, na residência oficial da Câmara, com o presidente da República, Michel Temer, o presidente do Senado, Eunício Oliveira, 12 governadores, 3 vice-governadores, ministros de estado e deputados da base do governo.

O encontro, de acordo com o presidente da Câmara, serviu para que os governadores conhecessem o relatório do deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA). “O clima da reunião foi muito positivo, pois todos sabem da importância que a reforma da Previdência tem. Os governadores estão sofrendo com a questão previdenciária nos seus estados. Todos sabem, base e oposição, que a Previdência precisa ter uma solução”, afirmou o presidente.

PSB
Questionado pela imprensa sobre a decisão da Executiva Nacional do PSB de orientar seus parlamentares a votar contra as reformas trabalhista e previdenciária, Maia acredita que o partido, que faz parte da base do governo, vai avaliar com cuidado essa decisão. Ele disse ainda que governadores do PSB – como o de Pernambuco, Paulo Câmara – são favoráveis às propostas do governo.

Segundo Rodrigo Maia, o governo conseguirá aprovar a reforma da Previdência no Plenário. “Quem disse que a gente não vai ter votos no dia 8? ”, questionou.

Servidores
Rodrigo Maia também afirmou que não deve haver mais mudanças no texto do relator, inclusive em relação aos servidores públicos.

Segundo o presidente, se for feita uma reforma da Previdência que não gere um resultado fiscal positivo, vai significar para o investidor que o País pedirá moratória. “O servidor tem de entender que, sem a reforma da Previdência, o Brasil quebra, a inflação sobe, e o salário dele não vale nada”, comentou.