REVALIDA, PESADELO DA DITADURA CUBANA – Dr. Francisco Mello
Adventista

Fullbanner1


REVALIDA, PESADELO DA DITADURA CUBANA – Dr. Francisco Mello

Fonte:
SHARE

Em relação ao retorno dos médicos à Cuba, os cães ladram e a caravana passa. Não há novidade aí. Os esquerdistas trovejam porque não querem que Bolsonaro cumpra o que prometeu.

O Capitão havia avisado que condicionaria a permanência dos médicos cubanos no Brasil à prestação do exame de admissibilidade, assim como, o repasse do salário integral para os referidos profissionais. Se alguém não aprova está afinado – quem diria -, com a exploração dos trabalhadores pelos ditadores, comunistas caribenhos.

Esses crápulas pregam o contrário desde que surgiu o socialismo. Condenam o lucro (mais valia), a propriedade privada, e qualquer tipo de exploração de quem tem os meios de produção – empresários – sobre quem vende a força de trabalho: os operários.

O discurso é um, e, a prática é outra. Além de expropriarem, nacionalizarem as riquezas que não lhes pertenciam, esses vermes hipócritas, inauguraram um dos mais condenáveis métodos de exploração de mão de obra: o Mais Médicos, enviando milhares de profissionais ou assemelhados para vários países, retendo em Cuba suas famílias e se apropriando de 3/4 de seus rendimentos.

Isso é criminoso. Configura extorsão entre outros crimes, pois agem como uma verdadeira milícia, tirando as liberdades de seus súditos e confiscando vergonhosamente 75% dos seus ganhos. É isso que o PT chama de boas práticas de governança? Continuemos alertas; esses aproveitadores mentirosos jamais podem voltar ao poder; que o Celestial nos livre e guarde, tchê.

Quando o governo de Havana chama de volta os seus médicos, antes que Bolsonaro assuma, é o mesmo que um smilingüido tentar mostrar músculos. Ao meu singelo julgamento, Cuba implementou uma saída “honrosa” antes do catastrófico vexame que seria o altíssimo número de reprovados no revalida; além do mais, a permanência dos médicos, perdera o objeto, como se diz em Direito, visto que o confisco dos salários era o mais importante para a ditadura, e, Bolsonaro assumindo, o extinguiria.

Não há falar em falta de segurança dos médicos. Não da para gastar papel de presente com caixa vazia. Bolsonaro conhece estas manobras nojentas dos ditadores. Quem quiser criticar, não passe vontade. Ele sabe que foi eleito pra fazer exatamente o contrário destes vermelhos. O resto, quem quer saber do resto?

Dr. Francisco Mello dos Santos. Advogado Criminalista. OAB-MT 9550. Especialista em Direito Penal e Processual Penal. drfranciscomello@terra.com.br (669)96892292.