Representantes do Rotativo Rondon vão à Câmara e se comprometem a resolver...
Fullbanner1

Fullbanner2


Representantes do Rotativo Rondon vão à Câmara e se comprometem a resolver problemas de funcionários

Fonte: Assessoria
SHARE

Após os funcionários do Rotativo Rondon procurarem os vereadores para reclamarem a falta do acerto trabalhista e também do depósito correto do FGTS, a Assessora Jurídica da empresa, Liz Ângela Brito Morina Vaz, procurou os parlamentares na Câmara de Rondonópolis, nesta quarta-feira (09), para dar um posicionamento da situação. Ela alega que os funcionários foram dispensados em janeiro e que a empresa propôs um parcelamento do pagamento, explicou que este está sendo feito, mas reconheceu que o depósito do FGTS em conta não vem acontecendo.

“Nossa receita mês é de R$ 200 mil e as rescisões somaram R$ 290 mil. Não teríamos como fazer este pagamento à vista, pois usamos quase toda a receita com a folha de pagamento dos que restaram. Uma parte dos funcionários não aceitou e procurou a justiça e destes teremos que aguardar o encerramento do processo. Mas dos que foram parcelados, só resta uma parcela a ser paga”, disse Liz Brito.

O vereador e presidente da Câmara de Rondonópolis, Rodrigo da Zaeli (PSDB), argumentou que a empresa propôs a forma de pagamento conforme suas condições financeiras mais o direito dos funcionários não prevaleceu. “A empresa deve pagar conforme o funcionário deseja receber, é um direito do trabalhador. Se não dão conta de pagar, pede pra sair, ou vocês vão esperar que o prefeito os declarem inidôneos? O FGTS deles não estão sendo pagos, como vamos defendê-los. É justo que a empresa cobre o reequilíbrio econômico da empresa, mas para isso deve estar quites com os trabalhadores”, questionou.

A Assessora Jurídica explicou que os pagamentos serão feitos e que a empresa fará a prestação de contas destas pendências. “Vamos pagar todas as pendências trabalhistas e apresentaremos os recibos de quitação para, a partir daí, propormos uma discussão ampla com autoridades e representantes de classe sobre a situação da empresa na cidade”, destacou.

Uma reunião vai acontecer ainda nesta quarta-feira (09) entre o Executivo Municipal e representantes da empresa, onde serão apresentadas as propostas para o fechamento do espaço da antiga rodoviária, que tem servido de estacionamento naquela região, inviabilizando a aplicação dos serviços no setor. Também vão propor a diminuição da outorga para a prefeitura, bem como uma maior fiscalização por parte da Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito aos inadimplentes do serviço.

Secretaria Legislativa de Comunicação Social

Montreal