Questionado se apoia Sachetti, Blairo diz: “somos amigos de infância”
Supermoveis



Questionado se apoia Sachetti, Blairo diz: “somos amigos de infância”

Fonte: Da Redação NMT
SHARE
Atual ministro da Agricultura e Adílton Sachetti foram responsáveis por desenvolver as grandes entidades que hoje respondem institucionalmente pelo agronegócio no estado, sendo referências em pesquisas. tecnologia e amparo aos produtores. Foto - Redes Sociais

O cenário hoje aberto para o Senado Federal em Mato Grosso, com praticamente mais de cinco candidatos concorrendo com chances reais de ocupar uma das duas vagas em disputa, só está assim porque o atual senador licenciado e ministro da Agricultura e Pecuária, Blairo Maggi (PP), desistiu de lutar pela reeleição. Até mais ou menos um ano atrás, todo e qualquer analista político dizia: “uma vaga já é do Blairo”. Mas eis que em fevereiro deste ano, quase na véspera de sua esperada descompatibilização e saída do cargo de ministro para preparar a pré-candidatura, o megaempresário reaparece em coletiva e diz que está fora do páreo.

A notícia mudou completamente o “jogo”, inclusive na busca pelo Palácio Paiaguás. Apesar do nome mais cotado naquela época, do ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (DEM), ainda ser o principal favorito agora para a sucessão do governo de Pedro Taques (PSDB), muitas movimentações partidárias, antes impensadas, passaram a tornar-se realidade pela ausência de Maggi. Na coletiva de saída, Blairo indiciou que estaria a margem do processo e que não estaria presente no processo eleitoral. Mas, obviamente, que não dá para imaginar uma figura do seu tamanho alheia as conversações.

O surgimento do nome de Adilton Sachetti (PRB), atual deputado federal com a segunda maior votação do estado, em 2014, para ocupar, em 2018, uma das candidaturas em disputa ao Senado Federal, foi para muitos um balde de água fria em quem pensava em herdar ao menos uma parte dos redutos eleitorais e do cobiçado agronegócio como apoiador. Nas últimas semanas, aventou-se a possibilidade até mesmo de Blairo não ser simpático a candidatura do seu vizinho em Rondonópolis e praticamente familiar. Sobretudo na capital do estado, onde tantos buscam consolidar seus nomes à Câmara Alta, a conversa ganhou corpo, mas hoje foi totalmente desmentida pela boca do próprio Maggi, que atribuiu obviamente em seu futuro posicionamento.

“Por óbvio que, se Adilton for candidato, terá meu apoio, minha amizade e meu voto. Somos amigos de infância. Mas não vou pegar Sachetti e levar para um lugar e dizer ‘você ficará aqui’. Se for candidato dentro de um grupo, terá meu apoio”, falou Blairo à imprensa, deixando claro a autonomia de Sachetti para tocar seus projetos. O próprio Adilton, quando questionado sobre o fato, demonstrou não ter nenhum tipo de preocupação sobre o assunto. “Não cobro a amizade do Blairo pela política. Ele é meu amigo e na hora certa saberá tomar as posições dele. Não estou misturando isso. Acho que tem todo direito de tomar a posição melhor para ele, no convencimento dele. Nossa amizade não dá para misturar com política”, disse o ex-prefeito de Rondonópolis.