PT quer retirar a reforma trabalhista da pauta de votações
Fullbanner1


Macropel

PT quer retirar a reforma trabalhista da pauta de votações

Fonte: NOTÍCIAS DE MATO GROSSO com Agência Câmara
SHARE

O Plenário vota neste momento um requerimento do líder do PT, deputado Carlos Zarattini (SP), que pede a votação da retirada de pauta da reforma trabalhista (Projeto de Lei 6787/16) pelo processo nominal.
Ao encaminhar favoravelmente a retirada de pauta, o líder da Rede, deputado Alessandro Mollon (RJ), disse que Câmara está prestes a analisar uma reforma trabalhista que, na opinião dele, “ataca diretamente direitos conquistados pelos trabalhadores” ao longo de décadas.

“Alguns parlamentares vão dizer que nenhum direito está sendo retirado. Mentira! Quem votar nessa reforma, vai votar pela sua demissão, trabalhador, e pela sua recontratação como empregado terceirizado com menos direitos, sem direito a vale-refeição, a plano de saúde e podendo ganhar salário menor”, alertou Mollon. “ Vamos lutar o dia inteiro para impedir a votação dessa proposta.”

Já o deputado Silvio Torres (PSDB-SP) desafiou Mollon e disse que vai ficar o dia todo em Plenário esperando que o deputado da Rede aponte quando algum direito constitucional esteja sendo mudado na reforma trabalhista. “Aí nós vamos saber quem está mentindo para o povo, quem está usando a mentira porque não tem argumento para votar contra a reforma”, provocou Torres.

Antecipando-se, Mollon citou como possíveis retiradas de direitos a previsão no texto para que as horas de deslocamento ao trabalho em locais de difícil acesso deixem de ser contabilizados como jornada. Além disso Mollon citou dispositivo que impede a incorporação à remuneração da função gratificada.

Confira os principais pontos da reforma trabalhista

Mais informações a seguir

Acompanhe o debate também pelo canal da Câmara dos Deputados no YouTube

Montreal