PSL no MT se desintegra em brigas internas e não deve eleger...
Fullbanner1



PSL no MT se desintegra em brigas internas e não deve eleger ninguém

Fonte: Da Redação NMT
SHARE
Foto - Unica/MidiaNews

Na melhor onda da extrema direita dentro da história recente no Brasil, o PSL surgiu como o caminho para que muita gente, com este tom de discurso, criasse condições de vitória em 2018, nas eleições do próximo domingo (7). Surfando a onda criada por Jair Bolsonaro (PSL), presidenciável da sigla, tem muito candidato flertando fortemente com a chefia do Governo do Estado, Senado Federal, Câmara e Assembleias Legislativas em praticamente todos as unidades da Federação. Em Mato Grosso, o que parecia ser promissor, deve resultar no fracasso total com nenhum eleito entre os filiados a nenhum dos cargos em disputa. A explicação para o insucesso anunciado é muito simples: a vaidade pessoal de todos desintegrou a força coletiva.

Em Mato Grosso, até mesmo uma candidatura ao Governo do Estado foi ventilada com o ex-prefeito de Sorriso, Dilceu Rossatto (PSL), mas a mesma perdeu força e o partido começou a tomar outros rumos que o de unicamente ser base para Bolsonaro a partir do momento que Victório Galli (PSL), candidato a reeleição na Câmara Federal, assumiu o comando com a anuência do presidenciável, no primeiro semestre. O próprio Dilceu, em vídeo recentemente divulgado, dá a entender que Galli já entrou com a missão de aproximar o partido do atual governador Pedro Taques (PSDB), com quem teve acordos políticos nos últimos quatro anos. Na prática, isso efetivamente foi feito.

A preocupação umbilical de Galli, aliás, como muito já se tinha previsão, bateu de frente com a egocentrismo da juíza aposentada, Selma Arruda (PSL), candidata ao Senado Federal e que, diferentemente de alguns magistrados que se acham Deus, traz consigo a certeza que é o próprio Altíssimo na terra. A confusão agora tomou conta do reino bolsonariano em Mato Grosso, Galli publicamente critica juíza, nos bastidores, como bem se sabe, já está fechado inteiramente com Nilson Leitão para o Senado Federal, e Selma, que já tem um pepino enorme de Caixa II para explicar, resolveu insinuar uma dobradinha (eleição de Senado em 2018 possui dois votos), durante uma live, com o procurador Mauro (PSOL), que é de um partido totalmente desprezado por todo seu público e pelo próprio Bolsonaro.

O outro nome do partido que sempre buscou as luzes dos holofotes de Bolsonaro no estado foi Nelson Barbudo (PSL), ex-vereador de Alto Taquari e que também almeja a Câmara Federal. Recentemente, o mesmo resolveu se auto-intitular porta-voz de Bolsonaro, em Mato Grosso, numa tentativa de alavancar seu nome, mas as pesquisas vêm mostrando que seu rendimento é muito aquém do esperado por ele próprio e sua votação pode, no máximo, servir para engordar a legenda e aproximar Galli da vitória. Muitos analistas cravam, porém, que a amplitude do trabalho feito pelo MDB dentro da coligação com DEM / PDT / PSD  e PMB, que apoia Mauro Mendes (DEM), bem como a extensão eleitoral da chapa PRB / PP / PTB / PT / PMN / PODE / PROS / PR, do grupo de Wellington Fagundes (PR), deve impedir que o time de Pedro Taques (PSDB) faça mais do que um deputado federal, que neste caso teria muitos mais chances de sair da chapa PSDB / PPS / PSB / SOLIDARIEDADE do que do agrupamento PSL / PATRI / PRP, que Galli montou unicamente para se eleger, mas que não deve atingir o quociente eleitoral e ficar fora, mesmo com as novas regras de cálculo.

A briga interna é tão ferrenha, que vídeos e matérias citando o possível Caixa II de Selma são espalhados em grupos de WhatsApp por assessores de Galli, enquanto que já está circulando um novo material, com muita cara de “fogo amigo”, revivendo denúncias de que Victório manteria funcionários fantasmas em seu gabinete. Se Bolsonaro, que ainda se recupera da facada que levou e não voltou totalmente para campanha, souber detalhadamente o que está ocorrendo em Mato Grosso, certamente diria a seu pessoal complicado daqui: “Vamos parar de palhaçada vocês todos aí, tá ok? Vocês tão querendo me fud…, porr…?”

Veja vídeo que ataca Galli: