PSDB permanece no governo, diz senador José Serra


PSDB permanece no governo, diz senador José Serra

0
Fonte: NOTÍCIAS DE MATO GROSSO com EBC
COMPARTILHE

O PSDB decidiu, em reunião da executiva nacional hoje (12), que vai permanecer, por enquanto, dando apoio ao governo do presidente Michel Temer. De acordo com o senador José Serra (SP), o clima da reunião foi de “unidade”, apesar das divergências. “[O PSDB] não fará nenhum movimento agora de sair do governo. Se os fatos mudarem, faremos outra análise”, disse o senador.

A reunião da executiva nacional do partido, que durou mais de quatro horas, teve a participação de governadores, dirigentes estaduais, senadores e deputados. O presidente da juventude da legenda, Henrique Vale, foi um dos que defenderam a saída da legenda do governo. Já o ex-deputado e ex-presidente estadual do partido Antônio Carlos Pannunzio disse, ao deixar a reunião, que esse não é o momento de “chutar o balde”.

“Temos compromisso com o Brasil. Não vamos chutar o balde agora. Não podemos virar as costas  para o Brasil e temos que continuar”, disse Pannunzio. Segundo ele, uma eventual saída do partido da base de apoio ao governo traria mais problemas para o Brasil. “O PSDB está ajudando o país a superar a crise e reencontrar o seu rumo”.

Pannunzio negou o racha entre a ala jovem e os caciques da legenda. “Está se debatendo. Os jovens estão tendo a oportunidade de colocar seus pontos de vista e os mais velhos também”.

Relação com governo

O deputado Jutahy Magalhães Júnior (BA) disse que, neste momento, uma maioria representativa é favorável à permanência do partido na base de apoio ao governo, contudo, ponderou que a relação não é como um “casamento indissolúvel”

“Na situação de hoje está claro que a maioria não deseja a saída do governo neste momento.  É óbvio que ninguém pode dizer que é um casamento indissolúvel, porque é uma questão que fatos estão ocorrendo e cada fato que ocorrer vai ser avaliado no momento próprio.  Quando ser esta uma relação de apoio ao governo, você luta para que esse apoio seja permanente, agora, é óbvio que fatos novos impliquem uma rututa . Temos que esperar a situação ocorrer.”

Jutahy Magalhães também disse que a legenda sairá unida do debate. “Essa é uma proposta que será discutida ao longo do tempo,  de sangria desatada que temos que resolver hoje, mas temos certeza que se a decisão, quando for  tomada e se for tomada, será respeitada por todos. Uma coisa podem ter certeza, o partido sairá unido. Se não tivemos uma decisão hoje de sair ou não sair do governo,  temos uma decisão unânime de apoiar as reformas”

Liberdade

Da ala que defende que os tucanos devem entregar os cargos que tem no governo, o deputado Eduardo Cury  (SP) disse que a saída trará  liberdade ao partido na defesa das reformas.

“Alguns defendem a permanência como forma de preservar as reformas. Nosso pensamento é que não,  a melhor forma de tocar as reformas é não ter os cargos do governo e ter liberdade para ter a confiança da sociedade de que está se fazendo a coisa certa. Uns acham que o melhor é permanecer apoiando as reforma no governo e nós entendemos que devemos apoiar as reformas fora do governo”

Na reunião também está sendo debatida a antecipação das eleições para formação da nova direção nacional da legenda, já que atualmente o partido é comandado interinamente pelo senador Tasso Jereissati, após o Supremo Tribunal Federal (STF) afastar o senador Aécio Neves, que presidia o partido.