Promotores e procuradores consomem mais de R$ 11 milhões ao mês; altos...
Fullbanner1

Fullbanner2


Promotores e procuradores consomem mais de R$ 11 milhões ao mês; altos salários são culpados

Fonte:
SHARE
Foto: Divulgação

Promotores de Justiça do Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPE) receberam altos salários e verbas extras no mês de dezembro. No Portal Transparência do órgão consta os valores dos pagamento que na grande maioria passam de R$ 150 mil mensais. O salário atinge pouco mais do que o dobro teto constitucional brasileiro, que tem como parâmetro o salário dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), de R$ 33,7 mil.

Segundo um levantamento,alguns promotores e procuradores receberam salários que atinge mais do teto. Audrey Thomaz Ility, do MPE, por exemplo, recebeu um salário de R$ 187.560,65, mas ficou com “apenas” R$ 142.027,05, após os descontos. Já Ezequiel Borges De Campos, também do MPE, teve R$ 160.446,65 como salário, mas com o deconto dos encargos, ficou com R$ 114.518,84, no mês do Natal.

Os salários daquele mês atingiram a marca de R$ 11,8 milhões. Graças ao pagamento de Sílvio Rodrigues Alessi Júnior, que está a frente da promotoria de Primavera do Leste, recebe R$ 189,3 mil de ganhos.Já Audrey Thomaz Ilith, promotora de Sinop, teve R$ 187,5 mil de salário. Marcos Brant Gambier Costa e Arivaldo Guimarães da Costa recebem R$ 189,2 mil e R$ 180,1 mil, respectivamente.

Os salários são acrescidos de gratificação por atividade no MPE, adicional por qualificação, adicional por tempo de serviço, gratificação por exercer cargo em comissão, aposentadoria para aqueles optam por continuar trabalhando, auxílio-alimentação, auxílio-transporte, auxílio-moradia, ajuda de custo, adicional de insalubridade ou de periculosidade, adicional noturno, serviço extraordinário, substituição de função, além de recursos que extraordinário.

Fonte: MídiaNews

Montreal