Projeto oferece vagas para curso gratuito de Logística
Adventista



Projeto oferece vagas para curso gratuito de Logística

Fonte: Assessoria
SHARE

O Projeto ‘Educação Para a Liberdade’ está com inscrições abertas para o curso de Logística. São oferecidas 10 vagas gratuitas e as aulas acontecem na sede da Obra Kolping, na Vila Operária, no período da tarde. Os interessados precisam ser do sexo masculino, terem idade entre 16 e 20 anos e renda familiar de até 2 salários mínimos (comprovados).

As inscrições estão sendo feitas na Obra Kolping e se encerram nesta quarta-feira (22), às 12h.

O projeto, criado em parceria com o Programa de Pós-Graduação em Educação – PPGEdu, da Universidade Federal de Mato Grosso – campus Rondonópolis -, com a Secretaria de Promoção e Assistência Social e com a Obra Kolping Mato Grosso, visa a qualificação de adolescentes de baixa renda e que vivem em situação de vulnerabilidade no município. Orçado em pouco mais de R$ 60 mil, o projeto é custeado pelo Ministério Público do Trabalho – MPT 23ª Região, por meio de multas aplicadas a empresas no combate a irregularidades trabalhistas.

Os alunos participam de um curso gratuito de Logística, com duração de três meses (carga horária de 160 horas), além de oficinas de formação humana, cultural e artística.

O curso de Logística é administrado pela Obra Kolping Mato Grosso, com sede em Rondonópolis, na Vila Operária e as oficinas, que compõem os módulos de núcleo básico, são ofertadas por professores e alunos da UFMT de diversas áreas do conhecimento.

O curso teve início em novembro do ano passado e formou 10 adolescentes selecionados pelos profissionais do Centro de Referência Especializado em Assistência Social – CREAS. Neste segundo momento outros 20 adolescentes serão beneficiados com o projeto. “A ideia é, futuramente, beneficiar um número maior de pessoas. Já temos, inclusive, uma proposta de curso para as meninas”, explicou o promotor de Justiça da Infância e Juventude, Ari Madeira Costa.

O nome “Educação para a Liberdade” foi escolhido porque seus idealizadores acreditam na capacidade da educação em transformar a realidade política, econômica e social das pessoas, possibilitando que elas saiam das situações de vulnerabilidade que muitas vezes comprometem a sua vida.