Projeto de prevenção à violência atende 70 escolas em Rondonópolis
Fullbanner1

show


Projeto de prevenção à violência atende 70 escolas em Rondonópolis

O ‘Escola Segura’ presta serviços de rondas, palestras de prevenção às drogas, vandalismo e bullying

Fonte: PM-MT
SHARE
Foto: 4ºCR/PMMT

Prevenir e combater atos de violência, envolvimento de estudantes com as drogas, além da desordem escolar são algumas das atividades que os policiais do 4º Comando Regional desenvolvem em 70 escolas de Rondonópolis (215 km ao Sul de Cuiabá).

Estas atividades fazem parte do programa conhecido como ‘Ronda Escolar’, que foi reformulado e passou a se chamar ‘Escola Segura’. A iniciativa atende escolas municipais, estaduais e particulares do centro da cidade e da zona rural.

De segunda a sexta feira, oito policiais que se dividem nos períodos matutino e vespertino visitam até oito escolas por dia, totalizando 48 por semana.

Além das rondas ostensivas diárias, os policiais ministram um ciclo de palestras para falar sobre o papel do policiamento escolar, da prevenção à violência, drogas e conscientização de ações criminosas. Também são promovidos trabalhos de vínculos sociais, como o combate e prevenção ao bullying (situação que se caracteriza por agressões intencionais, verbais ou físicas, feitas de maneira repetitiva, por um ou mais alunos contra colegas).

Ronda escolar - 3

Segundo o coordenador do programa, tenente Felipe Nunes Cordeiro, o que levou à implantação deste projeto foi o anseio da própria população, que pedia a presença dos policiais nas escolas, com uma abordagem e tratamento diferenciado aos estudantes.

Solicitados pelos diretores das escolas, os policiais ainda realizam um bate-papo com alunos que se encontram em situação de vulnerabilidade, indisciplina e que apresentam desvio de comportamento.

O projeto ‘Escola Segura’ é realizado há cerca de dois anos, com os atendimentos em três níveis: rondas ostensivas, que traz a sensação de segurança aos pais estudantes, professores e diretores; atendimento a ocorrências de menor potencial ofensivo, como furtos e atos de vandalismo e outros danos materiais nas escolas; e orientação educativa por meio de palestras.