Projeto criado por agentes penitenciários atenderá quase 200 crianças este ano
Supermoveis



Projeto criado por agentes penitenciários atenderá quase 200 crianças este ano

Fonte: NOTÍCIAS DE MATO GROSSO com Assessoria
SHARE

Iniciativa que nasceu de uma pequena semente e da vontade de ajudar crianças e adolescentes, o projeto Agente Mirim chega ao segundo ano de realização, e colabora para tirar quase 200 delas de situações de risco e da criminalidade. Idealizado por agentes penitenciários de Campo Novo do Parecis (444 km de Cuiabá), o projeto atenderá neste ano 140 novas crianças e mais 50 que vêm da primeira turma iniciada no ano passado. Uma das novidades são 10 crianças da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) local.

A nova turma começa as atividades no dia 1º de abril, a partir das 7 horas, na sede da Associação dos Agentes Penitenciários de Campo Novo dos Parecis, no centro da cidade.

O agente penitenciário Fábio Aguiar coordena o projeto e explica que a base é o desenvolvimento de noções de respeito e disciplina, que são levadas aos alunos por meio de atividades esportivas e educativas. Os agentes da Cadeia Pública do município participam do projeto conforme a área de formação de cada um, colaborando com o processo de aprendizado.

Fábio destaca que o projeto consiste em oferecer uma nova formação de valores para os adolescentes e, dessa forma, mostrar caminhos diferentes ao da criminalidade. No ano passado, a previsão era receber inicialmente 30 crianças e adolescentes e acabou atendendo quatro vezes mais. “Os pais nos procuram para que a criança faça parte do projeto e muitos deles estão agradecidos pela forma como o filho mudou de comportamento, tem mais responsabilidade”.

Para 2017, a faixa etária dos participantes é de 12 a 17 anos e o número de adesões mostra que o trabalho tem alcançado resultados. Fábio destaca que o auxílio dos pais e apoio do empresariado local, Conselho Tutelar e Conselho Municipal da Criança são fundamentais para a continuidade do projeto. “Realizamos um torneio de futebol para angariar recursos quando da implantação do projeto, e tivemos apoio irrestrito de colegas de outras unidades, com a construção de duas salas, onde o projeto é executado”.

Quem deseja auxiliar o projeto pode apadrinhar as crianças, colaborando com custos do projeto ou com a manutenção, por exemplo, dos uniformes da garotada.