Procurado por rivais, Barrios fala em projeto e volta por cima no...
Supermoveis

Gov

Adventista

Procurado por rivais, Barrios fala em projeto e volta por cima no Palmeiras

Fonte: Felipe Zito
SHARE

Depois de um 2015 de destaque e um 2016 pouco produtivo, Lucas Barrios já sabe bem o que planeja para esta temporada. O atacante pode não saber se vai começar o Campeonato Paulista como titular do time comandado por Eduardo Baptista, mas tem certeza de que quer continuar vestindo a camisa 8 do Palmeiras.

Do fim do Brasileirão do ano passado até o início da pré-temporada, o nome do paraguaio foi envolvido em especulações sobre uma possível saída do clube. Procurado até por clubes brasileiros, disse não aos interessados. Tudo para recuperar a boa imagem com a torcida e dar a volta por cima no Palmeiras.

– Eu não quis sair. Muitos times do Brasil me procuraram. Muito agradecido aos times que me ligaram aqui do Brasil, porque isso valoriza o que eu fiz em 2015 aqui no Palmeiras. Estou muito feliz no Brasil, gosto muito daqui. Algo pessoal que eu tenho é que não quero deixar a imagem que ficou de mim um tempo atrás. Em 2016, o treinador (Cuca) jogava com outro sistema. Quando estava jogando tive o azar de ir para seleção (veja só!), e quando voltei outro ocupou o lugar. É algo pessoal, quero ficar no Palmeiras para ajudar o time com gols, mostrar que eu vim para fazer gols – afirmou o atleta.

Titular de papel decisivo na reta final da Copa do Brasil de 2015, Lucas Barrios perdeu espaço com a chegada de Cuca. Até começou o Brasileirão como titular, quando abriu mão de defender a seleção paraguaia para ter uma sequência na equipe titular do Verdão. Porém, os problemas físicos e a preferência da antiga comissão técnica por um esquema de jogo mais rápido e com mais mobilidade fizeram o paraguaio deixar de aparecer como opção para o titular.

– Sempre falei que tem momentos em que temos de tomar decisões. Tratei de ser justo com a seleção e com o Palmeiras. Quando achei que tinha de ficar é porque precisava de uma sequência. Depois, se o treinador tem oportunidade de escalar outro time aí é problema do treinador e não meu – falou.

– Eu sempre demonstrei comprometimento com o Palmeiras e vou ter sempre. Se olhar quando joguei no ano passado, sempre foi em momentos difíceis. Nunca joguei num dois, três ou quatro a zero. Nunca tive isso de ser um cara problemático por não jogar. Sempre briguei pela minha posição da melhor maneira – disse.

Na briga por uma vaga no time titular do Palmeiras, Barrios aproveitou a chance que teve diante da Ponte Preta. É verdade que ele desperdiçou uma chance clara, quando a partida ainda estava 0 a 0, mas, quando o torcedor começava a mostrar alguns sinais de impaciência, se recuperou com um gol de cabeça (veja no vídeo).

LEIA MAIS:> Após testes, atacantes elogiam elenco e falam em forte disputa no Palmeiras> Eduardo vê lição para o Palmeiras em amistoso: “Ainda não é o ideal”

– Quando alguém perde o gol, você ou o torcedor acha que não queríamos fazer? Como atacante sempre quero fazer. Importa criar oportunidade de gol, quem entende de futebol sabe que quando se cria oportunidade, para o atacante o gol vai chegar – declarou.

– No Borussia Dortmund eu fui o goleador do time e campeão alemão em 2011. Em 2012, me machuquei na final da Copa América e não consegui jogar na volta, porque o Lewandowski entrou e jogou bem. Você tem de respeitar a decisão do treinador. Quando ele precisar, você tem de estar pronto. É dessa forma que o profissional tem de se comportar.

Além de Lucas Barrios, Eduardo Baptista conta com Alecsandro, Willian e Erik como atletas que também podem atuar como referência no sistema ofensivo palmeirense. A estreia do Verdão no Paulistão será no próximo domingo, contra o Botafogo de Ribeirão Preto, na arena.