Prevenção, diagnóstico e tratamento do câncer de pele foram motivo de evento...
Adventista

Fullbanner1


Prevenção, diagnóstico e tratamento do câncer de pele foram motivo de evento da Saúde em alusão ao Dezembro Laranja

Fonte: Assessoria.
SHARE
Foto: Assessoria.

Desde 2014, quando a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) instituiu o Dezembro Laranja visando conscientizar a população sobre medidas de prevenção e diagnóstico do câncer de pele várias ações são realizadas nesse sentido no último mês do ano. Integrando o movimento, a Secretaria Municipal de Saúde de Rondonópolis promoveu, no sábado (2), no Centro de Especialidades, Apoio e Diagnóstico Albert Sabin (Ceadas), um Mutirão de Prevenção ao Câncer de Pele com o lema de 2018 – “Se exponha, mas não se queime”.

Durante o evento, dermatologistas, além de um cirurgião de cabeça e pescoço e um cirurgião plástico realizaram consultas, cirurgias para biópsias e crioterapia, que é o tratamento terapêutico por meio de aplicação de nitrogênio na lesão. Ao todo, cem pessoas estiveram presentes e participaram das atividades.

Sendo o tipo mais incidente no Brasil, o melanoma ou câncer de pele contabiliza 176 mil novos casos a cada ano, segundo a SBD. A Campanha Nacional de Combate ao Câncer de Pele reforça a necessidade de procurar um dermatologista para realizar a investigação periódica das condições de saúde da pele e também enfatiza a importância de se adotar medidas fotoprotetoras como uso de guarda-sóis, chapéus, exposição em horários de menor incidência dos raios solares – evitando o período das 10h às 16h – utilização de protetor solar com fator de proteção solar de, no mínimo, 30 e reaplicação do produto a cada três horas.

Também de acordo com a SBD, as pessoas devem observar a própria pele e, se perceberem qualquer alteração, procurar imediatamente um dermatologista. A entidade ressalta que somente um exame clínico realizado por médico especializado ou uma biópsia podem diagnosticar o melanoma. Mas recomenda que o indivíduo deve estar atento a sinais de alteração como pintas que mudam de tamanho, textura ou cor, lesões elevadas, avermelhadas, castanhas ou multicoloridas que sangrem e manchas ou feridas que não cicatrizam e coçam, entre outros e, ao notar qualquer mudança, procurar o médico para avaliação.

Vale lembrar que o verão é a estação em que ocorre maior exposição ao sol por parte da população. Por isso, especialmente nesse período, é preciso ficar atento às recomendações médicas, pois os cuidados com a pele, além de protegerem contra esse tipo de tumor, também evitam o envelhecimento precoce.