Preso acusado de atear fogo na mulher e abandoná-la na porta de...
Supermoveis



Preso acusado de atear fogo na mulher e abandoná-la na porta de hospital de MT

Fonte: Da redação
SHARE
Foto: Internet.

A Polícia Judiciária Civil, em investigações da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), prendeu Flavio Cristiano da Cruz, 32 anos, acusado de crime de feminicídio. O suspeito teve a prisão temporária, expedida pela Vara Especializada de Violência Doméstica e Familiar contra Mulher, de Várzea Grande.

A prisão do suspeito, também conhecido por “Kaú”, ocorreu nesta terça-feira (20.03), no bairro Jardim Glória II. Ele é acusado de atear fogo no corpo da mulher, Isabela Nunes Soares, 31 anos, que no dia 5 de julho de 2017, por volta das 00h30,  foi abandonada, sem nenhum documento, no Pronto Socorro Municipal de Várzea Grande com 95% do corpo queimado.

A mulher foi encontrada em frente à unidade de saúde por causa dos gemidos de dor. Ela foi socorrida, mas não resistiu e morreu no mesmo dia que foi deixada no local.

Acionada, a equipe de plantão do delegado, Marcelo Fernandes Jardim, iniciou diligências preliminares e qualificou a vítima, Isabela Nunes Soares, de 31 anos. Na investigação, os policiais apuraram que a vítima convivia com o companheiro e que ele era a pessoa que a teria abandonado na frente do hospital.

O próprio suspeito alegou que estavam os dois sozinhos na casa e que, após uma briga, ele saiu e ao retornar encontrou a casa em chamas e a vítima queimada. Segundo ele, teria pedido ajuda a uma pessoa que passava pelo local e levado a mulher até o Pronto Socorro e abandonado-a na calçada.

“Diante dos indícios colhidos apontando que se trata de um crime de feminicidio foi representado pela prisão temporária do suspeito”, disse o delegado.

A prisão temporária foi decretada no dia 16 de março. “Foi um caso bastante complicado. No inicio não tínhamos nada, nem a identificação da vitima. Só com empenho e eficiência da equipe é que foi possível chegar até o suspeito”, finalizou o delegado.