Presa nas próprias palavras, Juíza já fala em desistência
Supermoveis



Presa nas próprias palavras, Juíza já fala em desistência

Fonte: Da Redação NMT
SHARE
Sem aceitar coligações e sem ser aceita nas mesmas, juíza não terá meios de ser candidata. Foto - Ednilson Aguiar/OLivre

A juíza aposentada, Selma Arruda (PSL), que almeja se tornar senadora, vê sua candidatura cada vez mais sem espaço para acontecer em Mato Grosso, neste ano, e por um motivo muito simples: colocou muita exigência em seu discurso para conseguir agregar sobre si a aura da moralidade e não será aceita em nenhum dos grupos políticos que estão desenhados. Por reiteradas vezes, Selma já disse que não aceita estar em uma coligação com pessoas que ela tenha “convivido” na época que investigava corruptos no Judiciário.

Ela, inclusive, já apontou desconforto com aliados de Pedro Taques (PSDB), já bateu boca criticando publicamente Jayme Campos, um dos manda-chuva do Democratas, e na outra possibilidade vê Wellington Fagundes (PR) acompanhado do MDB, que certamente é uma das siglas mais contestadas pelo envolvimento de muitos dos seus membros com ilicitudes.  Com a possibilidade iminente do recuo de Dilceu Rossato da busca ao Governo do Estado, o PSL não terá opção se não coligar, ou seja, seria se isolar prejudicando todos candidatos unicamente por Selma.

O partido, como não poderia ser diferente, precisa de um palanque forte para o presidenciável, Jair Bolsonaro (PSL), no estado e o próprio presidente da agremiação em Mato Grosso, o deputado federal, Victório Galli (PSL), já admitiu que seguirá coligações nacionais decididas pelo seu companheiro de parlamento, que lidera as intenções de voto segundo todas as pesquisas sem Luis Inácio Lula (PT) na disputa. “Quem vai decidir (coligação) e bater o martelo vai ser o PSL nacional”, admitiu o parlamentar.

Com o imbróglio á vista e a chance cada vez maior de ter que encarar de frente e no mesmo projeto de estado aqueles que alfineta desde que entrou no cenário, não se espera de alguém que ocupou a magistratura por tanto tempo que refaça suas palavras tão drasticamente, até porque isso seria se render totalmente a velha política. “Se alguma decisão não for coerente com o que eu penso e se não for algo que me deixe confortável, eu retiro a candidatura sem problema algum”, confirmou Selma Arruda ao FolhaMax.