Prefeito é afastado após suspeita de superfaturamento de remédios em MT
Fullbanner1

Fullbanner2


Prefeito é afastado após suspeita de superfaturamento de remédios em MT

0
Fonte:
SHARE
Foto: Imagem Ilustrativa

O prefeito de Colniza, a 1.065 km de Cuiabá, João Assis Raupp (PMDB), foi afastado do cargo temporariamente pela Câmara de Vereadores daquele município por suspeita de irregularidades, entre elas o suposto superfaturamento na compra de medicamentos. Os vereadores aprovaram por unanimidade o afastamento por 90 dias durante sessão extraordinária no sábado (30), com a alegação de que ele poderia interferir nas investigações.

Segundo a assessoria de João Assis, o afastamento foi um golpe, pois não deram o direito de defesa ao prefeito e aos vereadores antes da votação. As medidas judiciais já estão sendo tomadas.

Quatro vereadores também estão sendo investigados e não puderam participar da votação que decidiu afastar o prefeito da função.

Segundo o presidente da Câmara de Vereadores, José Antônio de Lima Silva (Pros), o processo tem mais de 100 páginas. “As principais denúncias são de superfaturamento de 400% na compra de medicamentos e irregularidades na contratação de máquinas pesadas”, informou.

Consta na denúncia que o valor superfaturado na compra de medicamentos chegou a R$ 3,8 milhões. Segundo o presidente da Câmara, também está sendo investigada uma denúncia de tentativa de intimidação dos vereadores em votações passadas.

“Na votação sobre a contratação de maquinário fantasma, no ano passado, o prefeito mandou expor as máquinas em frente à Câmara, e isto também será julgado”, disse.

Nessa mesma sessão que determinou o afastamento do prefeito foi criada uma Comissão Processante para julgar o caso. Através de sorteio, três vereadores ficaram responsáveis pela comissão.

Um dos vereadores investigados contesta a medida tomada pela Câmara. “Sou vereador eleito e atuante. Não pude votar, pois também sou denunciado. Foi um golpe, uma retaliação política, mas estou calmo e entrando com as medidas judiciais cabíveis”, disse o vereador Fausto Justino Marques.

O vice-prefeito, Esvandir Antonio Mendes (PR), assumiu o posto logo após o afastamento, mas precisou chamar um chaveiro para abrir as portas da prefeitura, já que as chaves estavam com o prefeito.

 

Fonte: FolhaMax

Montreal