‘Prefeita ostentação’ é presa pela polícia civil no Maranhão
Supermoveis


Adventista

‘Prefeita ostentação’ é presa pela polícia civil no Maranhão

Fonte: Veja Abril
SHARE
A ex-prefeita de Bom Jardim (MA), cumprirá prisão domiciliar (//Arquivo pessoal)

A ex-gestora teve a prisão preventiva domiciliar decretada na terça-feira (24); caso condenada, a pena pode chegar a 40 anos

A ex-prefeita de Bom Jardim, no Maranhão, Lidiane Leite, foi presa preventivamente terça-feira (24) pela Superintendência Estadual de Prevenção e Combate à Corrupção (Seccor), órgão relacionado à polícia civil, a pedido do Ministério Público (MP). A ex-parlamentar é mãe de duas crianças, a mais nova de apenas cinco meses. Por essa razão, o MP decidiu que ela poderá cumprir prisão domiciliar, a fim de preservar os interesses das crianças.

O marido de Lidiane e ex-secretário de articulação política, Humberto Dantas, conhecido popularmente como ‘Beto Rocha’, também teve a prisão preventiva decretada pelo juiz Raphael Leite Guedes com base em uma denúncia apresentada pelo MP, mas não foi encontrado pela polícia e está foragido.

Caso condenada, a ex-gestora, que responde a quatro ações penais na Comarca de Bom Jardim e uma outra que tramita na Justiça Federal, pode pegar até 40 anos de reclusão. Já seu marido, Beto Rocha, acusado em cinco ações penais na Justiça Estadual e outras duas em nível federal, pode passar até 50 anos na prisão. Além destes crimes, o ex-secretário foi condenado a dois anos de reclusão por corrupção eleitoral.

Ostentação

Também conhecida como “prefeita ostentação”, a moça administrava um município no interior do Maranhão com um dos menores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) do país. A loira ganhou fama há dois anos, ao ser presa pela Polícia Federal.

Lidiane mantinha uma vida de luxo que ostentava em redes sociais. O padrão de vida da ex-parlamentar, no entanto, não condizia com a pobreza do município de 40 mil habitantes que estava sob sua gestão. A ex-prefeita, agora na mira da justiça, foi acusada pelo Ministério Público de ter cometido crimes previstos na Lei de Licitações, falsidade ideológica, peculato, associação criminosa e crime de responsabilidade.

Montreal