Pré-candidato a governador, conselheiro afastado indica que está sendo censurado
Supermoveis



Pré-candidato a governador, conselheiro afastado indica que está sendo censurado

Fonte: Da Redação
SHARE
Foto - Gilberto Leite/RDNews

O conselheiro afastado do Tribunal de Contas do Estado – TCE, Antônio Joaquim – acusado de receber vários milhões do ex-governador corrupto e réu confesso do PMDB, Silval Barbosa, para aprovar suas contas sujas na corte que participava e recentemente presidia, dentre outras possíveis ilicitudes como uma negociação obscura de uma fazenda – aguarda a efetivação do seu pedido de aposentadoria para iniciar, oficialmente, sua busca pelo Governo do Estado pelo PTB. Ocorre que para isso ocorrer, seu pedido, que foi protocolado no último dia 19 de outubro, precisa da assinatura de Pedro Taques (PSDB), que atualmente está no comando de Mato Grosso e deve disputar a reeleição. Embora cobre celeridade do gestor, Joaquim pode ter de esperar até o dia 8 de novembro, que é o prazo legal que o governador tem para despachar. Mas como já há marcado um evento da oposição justamente para o dia 8, inclusive marcando sua filiação e a apresentação do seu nome como pré-candidato, Joaquim tem entendido a situação como censura. “Ele não quer adversário. Qualquer um que fala que quer ser candidato para confrontá-lo – no bom sentido da política -, ele quer fazer de tudo para eliminar a possibilidade. Ele não vai conseguir isso (…) Não é o imperador Pedro Taques, atormentado e amedrontado no Palácio, pelo seu fracasso, que vai decidir minha vida”, vociferou.

Independente de liberação ou não, a tarefa principal de Joaquim será explicar para o povo que um homem que foi considerado inapto pelo Supremo Tribunal Federal – STF para ser conselheiro de contas, tem condições de ser o governador do estado…