Postulante a governador, Joaquim se safa de um dos seus problemas com...
Fullbanner1

show


Postulante a governador, Joaquim se safa de um dos seus problemas com a Justiça

Fonte: Da Redação
SHARE
Foto - Marcus Mesquita/Midia News

O conselheiro afastado e ex-presidente do Tribunal de Contas do Estado – TCE/MT, Antônio Joaquim, que só aguarda assinatura do atual governador, Pedro Taques (PSDB), para se ver devidamente aposentado e pronto a se filiar ao PTB e iniciar uma possível busca ao cargo máximo do estado, ou seja, onde Taques está hoje, terá que conviver com a agoniante sina de convencer as pessoas a votarem nele, enquanto deixa outro olho na Justiça para ver se os problemas que tem por lá não avançam e acabam o inviabilizando. Um deles, porém, foi equacionado recentemente. O Juiz da Vara de Ação Civil Pública e Ação Popular, Luiz Aparecido Bortolussi Junior, extinguiu uma ação em que Joaquim e mais dois ex-secretários de Educação do Estado eram acusados de terem contratado e mantido pessoas em bons cargos públicos em Mato Grosso sem que os mesmos tivessem sido aprovados em um concurso público. Joaquim esteve no comando da pasta entre janeiro de 1999 e março do ano 2000, quando finalizava seu mandato pouco expressivo de deputado federal.

O ex-líder da corte contas é acusado de receber propina para aprovar as contas da gestão corrupta de Silval Barbosa, do PMDB, no TCE, além de ter efetuado um negócio pouco transparente de uma fazenda com o ex-governador.