População é informada que Atlântico recebe rede de esgoto no segundo semestre
VendaMais

População é informada que Atlântico recebe rede de esgoto no segundo semestre

SHARE
Audiência na Umei Jéssica Adriana foi responsável por anúncio oficial. /Foto Rivian Dias

Por Assessoria

A audiência pública realizada pela Câmara Municipal de Vereadores e coordenada pelos vereadores Roni Magnani (PP) e Cláudio da Farmácia (PMDB) na Umei Jéssica Adriana, no Jardim Atlântico, na noite de ontem (19), serviu para que a direção do Serviço de Saneamento Ambiental de Rondonópolis – Sanear pudesse oficializar à população a aprovação do projeto pela Caixa Econômica Federal – CEF para a instalação da rede de esgoto em todo o bairro e no vizinho Jardim Europa, a partir do início do segundo semestre.

O vereador Roni Magnani, disse que a conquista realmente deve ser comemorada e explicou que a certa demora na aprovação do projeto, que já tramitava na instituição financeira há algum tempo, foi justamente pelo grande potencial de crescimento habitacional da região. “A Caixa entendeu que pelo surgimento do João Antônio Fagundes, do Casaldáliga e de outros empreendimentos particulares que estão sendo construídos na região era necessário uma revisão e adequação do projeto original. Acompanhamos a situação tanto na CEF quanto no Sanear, as coisas andaram e agora este investimento de R$ 14 milhões, via PAC II, chega para elevar a qualidade de vida desta grande região”, comentou Roni.

O diretor executivo de manutenção do Sanear, Cristóvão Teixeira, afirmou que a obra não deve demandar muito tempo e que o mais complexo em rede de esgoto, que são as elevatórias, já tem um ponto construído na região. “No Atlântico e Europa vai ser o serviço de abrir as valas, instalar a rede e automaticamente já poderemos no fim do trabalho liga-las, já que elas estarão anexas a elevatória do Casaldáliga, que já está totalmente pronta. Neste caso, o mais difícil nós já temos”, comentou, confirmando que o projeto atualmente passa por processo de licitação.

A reunião no Atlântico ainda tratou sobre regularização fundiária, que na verdade já foi feita na região, mas que ainda obtém pendências em virtude da negociação feita antes da documentação oficializada. “Ocorre que o proprietário legal, ou seja, a quem o lote pertence nominalmente, negociou o lote para um segundo. Agora, para regularizarmos precisamos que o novo dono solicite ao primeiro que vá na prefeitura, munido de suas documentações, informe a transferência e dê entrada simultânea na regularização. O processo é simples, já está aberto e é só nos procurar”, explicou o secretário de habitação e urbanismo, Roberto Carlos Carvalho.

NENHUM COMENTÁRIO

DEIXE SEU COMENTÁRIO