Politicagem de Bezerra pode impedir a chegada de milhões a Rondonópolis
Fullbanner1


Macropel

Politicagem de Bezerra pode impedir a chegada de milhões a Rondonópolis

Fonte: Da Redação
SHARE
Foto - Cristiano Mariz/VEJA

A emenda de bancada, ou seja, quando todos os deputados federais e senadores do estado se unem para mandar uma grande quantia em recursos para uma cidade polo para que obras grandes possam ser construídas e o máximo de pessoas possíveis atendidas, foi feita nesse ano pelos parlamentares de Mato Grosso, quando enviaram R$ 168 milhões à Cuiabá. Quase a metade do montante, será usado para a construção do novo Hospital e Pronto Socorro Municipal de Cuiabá.

Para 2018, o deputado federal, Adílton Sachetti (PSB), iniciou uma articulação junto aos colegas mato-grossenses de Congresso Nacional para que o mesmo fosse feito a Rondonópolis, até devido a importância estratégica da maior cidade do interior para toda a região sul, onde moram mais de meio milhão de habitantes. Como ano que vem é eleitoral, alguma resistência foi encontrada nos parlamentares que representam eleitoralmente outras regiões mato-grossenses, mas com habilidade Adílton e a bancada rondonopolitana estava prestes a conseguir o envio do recurso.

O termo “estava” cabe bem porque agora ninguém sabe mais o que acontecerá, visto que precocemente o deputado federal, Carlos Bezerra (PMDB), “malandramente” se reuniu com o prefeito de Rondonópolis, Zé Carlos do Pátio (SD), e anunciou, com a presença da imprensa, a ida de mais de R$ 80 milhões, sinalizando que o trabalho nasceu de si. A atitude de Bezerra pegou mal, mas muito mal com a bancada, que não só repudiou a antecipada e egoísta postura do veterano, como já agora não vê como certa a antes já fixada destinação do dinheiro para a cidade, mediante a pressão das bases de cada um pelo vazamento da informação.

Como diziam os sábios: o tempo passa, os defeitos nem sempre…

 

Montreal