Policiais civil, militar e agente prisional atiram em festa e são presos
Adventista

Fullbanner1


Policiais civil, militar e agente prisional atiram em festa e são presos

Fonte: Da Redação com Folhamax.
SHARE
Foto: Internet

Um policial civil, um militar, um agente prisional e outras três pessoas foram detidas após uma confusão em uma festa particular e disparos de arma de fogo, durante a madrugada desta quarta-feira (28), no bairro Jardim Cuiabá, na capital.

Segundo registro de ocorrência, uma das pessoas conduzidas à delegacia seria a mãe de um dos policiais, que se identificou como proprietária do local onde aconteceu o caso.

As informações registradas são de que a Polícia Militar foi acionada por populares com relatos de que havia disparos de arma de fogo em uma casa próxima a um buffet que fica na região. No local, enquanto fazia rondas, os policiais ouviram outros disparos de arma de fogo, quando avistaram umas pessoas em uma residência.

No entanto, ao perceberem a presença da viatura, todos os que estavam na casa correram para o interior do imóvel e fecharam o portão. No boletim consta que, mesmo após este ser fechado, foram ouvidos outros seis tiros dentro da casa.

A informação é de que foram feitas várias tentativas de contato com as pessoas que estavam na residência, mas não houve resposta. Os policiais solicitaram apoio da Rotam e de uma equipe da base do Araés. Eles decidiram invadir o local.

Quando entraram, as pessoas correram, então foi ordenado que todos os presentes colocassem as mãos na cabeça para serem abordadas. Durante a revista, foi encontrada uma pistola com 17 munições calibre .40 em posse de A.M.F., logo identificado como agente da Polícia Civil.

Também foi preso um policial militar, identificado como N.E.C.J., de 26 anos. Ele estava com uma espingarda calibre 12 dentro do seu carro, além de um revólver calibre 38 e munições calibre 380 e calibre 38.

Com o agente prisional, identificado como F.R.S.R., de 41 anos, foi localizado um simulacro de pistola.

Outras três pessoas, incluindo a mãe de um dos policiais, foram conduzidos para a Central de Flagrantes. Foi solicitado um micro-ônibus da PM para conduzir os envolvidos. Eles não foram algemados.